A transformação digital está por todos os lados. Não só em equipamentos comandados por humanos, mas também na gestão de pessoas. E, inovações tecnológicas ajudam – e muito – o setor de recursos humanos. Então, aqui vamos falar do uso da tecnologia em recursos humanos.

A novidade vem ao Brasil com o Grupo DNA, que acompanha o cenário e investe em soluções em toda América Latina desde 2013. A tecnologia de recursos humanos possui ferramentas B2B e B2C e plataformas que vão desde o “Tinder de carreira” a site de recolocação profissional.

“Há uma crescente demanda por inteligência digital. E, essa necessidade está nas empresas e candidatos em qualquer fase da carreira, dos que procuram mudar de direção ou desenvolver habilidades até os que querem encontrar um cargo mais alinhado a seus ideais”, afirma Murilo Arruda, CEO do Grupo e fundador das startups.

Por isso, Show Me The Money, The Bonding e GENES, contam com 15 mil acessos diários em toda a América Latina.


Tecnologia em RH: Show the Money, cálculo do valor do profissional para o mercado


Tanto na hora de pedir um aumento de salário, quanto na procura por um novo emprego, saber o valor a ser pedido é sempre uma dúvida. Quanto você vale ao mercado de trabalho? É essa a pergunta respondida pelo Show Me The Money.

Criada em 2014, a plataforma mostra, via algoritmo e machine learning, um relatório detalhado do salário e dos benefícios que um profissional deve receber em uma área específica. Esse cálculo leva em consideração as suas habilidades e as funções que desempenha.

Há, por sua vez, vantagens às empresas também. Isso porque a pesquisa da extensa base de cargos ajuda a determinar quanto ela deve pagar a seus funcionários. Assim, as empresas conseguem reter talentos sem depender continuamente de estudos.


Tencologia em Recursos Humanos: The Bondin, o “Tinder profissional” para o recrutamento


O mundo corporativo também é baseado em encontro de afinidades e interesse. Conhecido como “Tinder profissional”, The Bonding faz matches entre candidatos e empresas. A plataforma é sucesso no Chile, no Peru e na Colômbia – e agora se insere no Brasil.

Nele, os dois lados cadastram perfis detalhados dos aspectos de sua cultura e ideais. Também por algoritmo e machine learning, a ferramenta promove o encontro dos dados.

“Assim, ao invés de o RH receber 200 currículos e ter de filtrar os que mais tem a ver com a vaga, ele recebe 15 que passaram por uma peneira e estão mais alinhados. Isso torna a seleção mais rápida, inteligente e certeira”, explica o CEO.

GENES: dicas certeiras para encontrar novo emprego 40% mais rápido


Ainda sobre tecnologia em Recursos Humanos, a Genes é outra novidade no mercado. Por sua vez, a GENES é uma plataforma que ensina profissionais – tanto os que estão inativos quanto os que estão no mercado, mas querem trocar de área – a encontrarem novas oportunidades, passo a passo.

Assim, é um programa de outplacement completo criado em 2016, a ferramenta conta com vídeos explicativos e tutoriais que orientam a dar um “up” no currículo e no perfil no Linkedin.

Depois, o usuário tem acesso às valiosas listas de recruiters internos e headhunters. São, então, mais de 10 mil contatos disponíveis – e às vagas para começar uma seleção, direto na fonte do processo.

O usuário, portanto, pode criar uma rotina, a fim de treinar habilidades e se instruir. Com isso, ele ganha um auxílio para conseguir um emprego 40% mais rápido, segundo avaliação da DNA Digital.

A necessidade do uso da tecnologia em Recursos Humanos

Bem, com 13 milhões de desempregados no Brasil, a DNA Digital vem para otimizar as HRTechs.

“São anos de experiência de muitos experts da área disponíveis em uma única plataforma, a preços acessíveis a todos os níveis. Muitas vezes, a dificuldade em encontrar trabalho está ligada ao pouco conhecimento de como fazê-lo. Nosso objetivo é democratizar essa informação e ajudar a população inativa a encontrar seu lugar no mercado”, declara Arruda.

Hoje, a DNA Digital soma mais de dois milhões de usuários no Brasil, Argentina, Peru, Colômbia, Chile e México. Além disso, com a Microsoft como sócia, investidora e aceleradora, a DNA está avaliada em cerca de R$ 60 milhões.

A meta até 2020 é chegar a 30 mil usuários únicos diários em todas as plataformas. Para liderar a operação no Brasil, a empresa selecionou Mauricio Amaral, ex-CEO da Mercer do Brasil.

“A gestão de talentos, cada vez mais tecnológica, exige do RH soluções mais dinâmicas, em tempo real – que é o que oferecemos”, declara.

Fonte: Grupo DNA


Grupo empresarial que consiste em 5 empresas. São elas: DNA Human Capital, DNA Outplacement e a DNA Digital. Essa última formada pelas HRTechs The Bonding, Show Me The Money e GENES.

São 120 profissionais, em cinco países da América Latina. Foi fundado 2013, em Santiago (Chile), por Lucas Canevaro e Murilo Arruda, profissionais que estão na área de Recrutamento e Seleção de Executivos há mais de 15 anos.