Veja se essa profissão é para você!

Certezas e dúvidas são comuns no início de carreira da maioria dos profissionais. Para a coordenadora de Comunicação Interna e Endomarketing no HCor, Flávia Amati não foi diferente. Antes de escolher cursar Relações Públicas na Faculdade Cásper Líbero, ela quase fez Farmácia. Ao se formar, deparou-se com um mercado competitivo. Então, decidiu dar aulas de inglês e pensou em desistir de atuar na área. Hoje, ela vai contar um pouco sobre como é a carreira de comunicação interna.

Mas, em meio a cargos de assessoria de imprensa, que ocuparam cinco anos da sua trajetória, ela conseguiu um emprego em comunicação interna em 2010. E, aí veio a sua primeira certeza: era isso que ela gostaria de seguir para o resto da vida.

PC: Por que você gosta de trabalhar com comunicação interna?

Eu gosto de eventos de integração e da comunicação com os funcionários. A área é bem dinâmica. Dificilmente temos rotina. Nossas atividades vão desde sair correndo para comunicar uma manutenção de emergência no prédio, até criar campanhas e projetos de longo prazo.

A comunicação interna tem a importante tarefa de conscientizar os colaboradores e melhorar a comunicação entre eles.

É a nossa área, também, que alinha o discurso da empresa com a prática dos colaboradores. Assim, eles conseguem entender as estratégias, posicionamento e próximos passos definidos pela liderança.

PC: E qual a importância dessa área dentro de uma empresa?

Rentabilidade e resultado. Ter metas e estratégias bem definidas, aliado a um bom clima organizacional ajudam o funcionário a produzir mais.

E tudo isso vem em linha com as tendências que vemos hoje no mercado. As pessoas querem ter um propósito em seus trabalhos e para isso precisam produzir algo que elas acreditem.

Além disso, o ambiente de trabalho tem sido bastante valorizado para proporcionar qualidade de vida para o colaborador. Hoje, a área de comunicação interna é vista como um investimento dentro das empresas.

Em projeto em seu antigo trabalho na Saraiva

PC: Você mencionou o trabalho com projetos de longo prazo, como isso funciona na prática?

Nós desenvolvemos projetos com diversos focos. Eles vão desde informar uma novidade, até engajar colaboradores. Por exemplo, já participei de um projeto que iria contar para a empresa que o plano de saúde iria mudar para outro melhor.

Parece algo simples, mas nós tivemos que estudar a melhor forma de explicar que isso teria um custo maior.

Tivemos que destacar as vantagens e fazer com que eles entendessem as desvantagens. Geralmente, participo de projetos que contam com uma mudança que irá impactar diversas áreas da empresa. Por isso, o meu objetivo é entender esse impacto e engajar todos os colaboradores para essa mudança.

PC: Quais habilidades um profissional precisa ter para ser bem-sucedido na área de comunicação interna?

Tem que ser bom redator, organizado por conta dos diversos prazos e visão macro da empresa, é preciso conhecer um pouco de cada área.

Portanto, também é importante saber lidar sob pressão, ser uma pessoa influenciadora e ter um bom relacionamento interpessoal. Muito importante estar sempre disposto a ouvir os colaboradores.

E conversar muito, tem dia que eu tomo uns cinco cafezinhos com funcionários diferentes e isso me ajuda a entender as necessidades e insatisfações deles. É um desafio saber conversar com todos os tipos de público e isso é feito diariamente.

PC: Quais tipos de dificuldade um profissional pode enfrentar?

O trabalho sob pressão é o mais difícil no dia a dia. Além dos prazos apertados, lidamos com muitos imprevistos.

Por exemplo, estávamos organizando um evento – e evento sempre tem imprevistos – e recebemos a notícia que o fornecedor de alimentos não poderia mais nos atender, só que ele nos avisou no dia anterior por volta da meia noite.

É preciso ter calma e encontrar saídas práticas de forma rápida. E isso acontece naqueles dias que também temos que entregar um texto e não estamos com muita inspiração.

PC: A comunicação também é um desafio?

Sem dúvida. E precisamos lembrar que a comunicação é o estudo do público e a adaptação do discurso a diferentes perfis.

Nós nos relacionamos com todos os tipos de pessoas e precisamos saber como entregar a melhor comunicação para cada tipo de pessoa. Por isso, sempre existe uma preparação do discurso prévia.

PC: Qual dica você dá para quem quer crescer na área de comunicação interna?

O mercado não é fácil. É preciso ter paciência e trabalhar muito para conseguir um nível de maturidade profissional e um bom salário.

Tenho 13 anos de experiência e posso dizer que as coisas demoram para acontecer, por isso é preciso paciência e preparação.

Estude sempre, faça muitos cursos voltados para a área que você quer atuar.

Mais importante que uma pós-graduação é fazer cursos específicos, pois além de ajudar com o conhecimento técnico te proporcionam um ótimo benchmarketing.

PC: O que é sucesso para você?

É acordar todos os dias e saber que vou fazer o melhor de mim em uma empresa que eu adoro trabalhar, com funções que eu adoro desempenhar. Acordar com disposição e motivação é sucesso para mim.