Você está montando o seu currículo para trainee, mas não sabe muito bem o que fazer? Calma, nós podemos ajudar. Caso você esteja planejando participar de um processo seletivo de trainee, este texto vai ajudar na construção do CV perfeito. 

Mas, será que um currículo para trainee é tão diferente assim de um currículo profissional comum? Lígia Oliveira, gerente de contas da Cia de Talentos, explica que sim: 

“Diferentes níveis de oportunidades exigem diferentes formas de se apresentar ao mercado de trabalho. O trainee é uma vaga destinada a recém-formados na faculdade, geralmente com o intuito de formar este profissional, para que, ao fim de um período, ele possa assumir uma posição estratégica na organização”, explica ela.

Por isso que os processos de trainee são tão disputados e acompanhados de perto. Muitas vezes esses profissionais entram na estratégia de sucessão da empresa e são um investimento alto para a companhia.

O que é importante num currículo para trainee? 

Mas vamos à parte prática. Afinal, o que você precisa fazer para montar um currículo para trainee ideal? Segundo Lígia, o principal é você se concentrar nas suas habilidades atuais, como: 

  • Formação acadêmica;
  • Idiomas;
  • Informações que indiquem o seu empenho. 

Ao contrário de uma vaga de emprego tradicional, o processo de trainee não costuma pedir que o candidato tenha experiência profissional, mas isso pode mudar de acordo com a empresa. Ou seja, fique atento aos pré-requisitos antes de adaptar o seu currículo para participar do processo: “Há alguns programas de jovens profissionais que consideram a experiência como um requisito ou diferencial”, explica ela. 

O que destacar no seu currículo para trainee? 

Bom, além de focar nas informações mais importantes, se você busca se destacar, precisar dar mais atenção àquilo que é considerado um diferencial. Lígia conta que as empresas estão em busca de alguém que não fique parado e busque se desenvolver. Isso significa que, quanto mais você demonstrar o seu interesse em crescer profissionalmente, melhor. 

“Na hora de fazer um currículo, vale valorizar as experiências relevantes que o candidato já teve – na faculdade, em trabalhos acadêmicos e se você teve um papel de liderança em estágios anteriores. É uma forma de mostrar a quem olha seu currículo o empenho, força de vontade, envolvimento e engajamento do candidato com diferentes atividades”, diz ela. 

Além disso, vale a pena pensar com carinho no objetivo do seu currículo de trainee. Tenha em mente a área que quer atuar, se a empresa em questão oferece vagas nessa área e deixe isso claro no CV. Por exemplo, se você quer trabalhar com marketing, um objetivo claro e sucinto seria “Ser trainee na área de marketing”.

Saiba elencar as informações

É sabido que os recrutadores passam pouquíssimo tempo lendo os currículos dos candidatos, por isso, saiba elencar direito as informações na hora de montar o seu CV para uma vaga de trainee. 

Você pode seguir o esqueminha abaixo: 

  1. Dados pessoais (nome completo, endereço, telefone de contato, etc.);
  2. Objetivo;
  3. Formação acadêmica;
  4. Experiência profissional (da mais recente à mais antiga); 
  5. Idiomas;
  6. Informações adicionais (como conhecimentos de informática, etc.).

Se, por algum motivo, você começou um curso na faculdade e mudou de área no meio do caminho, Lígia indica que vale a pena colocar as duas faculdades no seu currículo. “É importante estar preparado para questionamentos sobre isso em uma possível entrevista e saber justificar o que motivou a mudança”, explica.

Não tenho experiências profissionais, e agora? 

Calma. Existem muitas formas de você demonstrar as suas habilidades no seu currículo. Caso você não tenha experiências relevantes, pode colocar aqui experiências com trabalho voluntário ou vivências extracurriculares (como grêmio da universidade, comissão de formatura, participação em congressos e palestras, organização de eventos…).

Atenção redobrada!

O seu currículo é o seu cartão de visitas profissional. Ou seja, é ele que gera a primeira impressão que o recrutador tem de você. Ele apresenta e introduz, de forma simples, o seu perfil profissional, e ajuda o recrutador a filtrar os candidatos de acordo com a vaga que está oferecendo. 

Por isso, a forma como ele é feito pode gerar muitos impactos, tanto positivos quanto negativos. “Cuidado com a gramática e com a atualização e detalhamento dos dados pessoais. E o mais importante é ser sincero. Nunca inventar informações”, aconselha Lígia. 

Seja sincero e, principalmente, sucinto. Quando o assunto é currículo, menos é sempre mais: coloque as informações que sejam, de fato, relevantes para a vaga e explique de forma resumida porque ela é importante. “Não é preciso omitir informações, mas é bom saber que capacidade de síntese é uma competência requerida no mercado”, finaliza.