Erros ao montar um currículo é um desafio para muito candidatos de vagas de emprego.

Mas além de dicas de como escrever cada tópico, queremos ajudar você a evitar os principais erros cometidos em um currículo. Então, vamos ver o que não colocar no currículo!

Conversamos com a consultora de RH, Danielle Lima, para discutirmos os deslizes mais comuns na hora de escrever sobre sua vida profissional em um arquivo.



O que não colocar no currículo 1: Muitos dados pessoais

No currículo, os dados pessoais servem apenas para os recrutadores entrarem em contato com os entrevistados. Por isso, muitos candidatos costumam colocar mais informações do que o necessário nesse tópico como RG, CPF, rua em que mora ou data de nascimento. Esses são um dos principais erros no currículo. Portanto, esses dados são desnecessários e só ocupam um espaço precioso do seu currículo.

Por isso, você deve deixar apenas seu nome, telefone, e-mail e link para o Linkedin. Algumas empresas exigem o endereço, mas apenas o bairro já é suficiente.

Segundo Danielle, existe uma tendência a valorização da diversidade no mercado de trabalho.Então, a data de nascimento e estado civil, por exemplo, estão deixando de ter importância na hora da seleção profissional. “Não interessa se você tem 20, 30 ou 40 anos. Assim, o que interessa é o quanto você é qualificado para a oportunidade”, pontua Danielle.

Em países como os Estados Unidos isso já existe há alguns anos. Um currículo americano dificilmente terá endereço, idade ou qualquer outra informação pessoal.

Lembre-se que o RH não terá tempo suficiente para ler todos os currículos, então ele tirará suas conclusões nos primeiros parágrafos do seu currículo. Por isso, se você escrever muitos detalhes nos dados pessoais, vai acabar desviando a atenção dele das suas habilidades mais essenciais.

Já tratamos esse assunto no PraCarreiras, mas não custa lembrar novamente: não é necessário colocar uma foto no seu currículo.

Veja aqui alguns exemplos de modelos de currículo para baixar.

O que não colocar no currículo 2: Objetivo genérico

Certamente, o tópico objetivo é o mais polêmico dentro de um currículo. Alguns headhunters e profissionais de RH divergem sobre o uso – ou não – do “Objetivo” dentro de um currículo.

Na opinião da consultora de RH, o Objetivo no currículo norteia as aspirações dos candidatos em relação a sua vida profissional. Por exemplo, um RH pode ter atuado com Folha de Pagamento, mas estar focado em uma oportunidade com Recrutamento e Seleção. Se a oportunidade for para Folha de Pagamento, ele poderá ser chamado para uma entrevista sem estar disposto a participar do processo seletivo. E isso é um desgaste e perda de tempo para ambos os lados.

O maior erro no conteúdo desse tópico está em trazer um texto genérico e pouco objetivo. O ideal, no caso de incluir esse item no seu currículo, é especificá-lo de acordo com a vaga em que se pretende ingressar. Coloque a área de atuação pretendida e a adeque conforme for mais chamativo para o recrutador.

Não coloque nada como “Quero crescer profissionalmente” ou “Executar funções de forma produtiva”. Isso sempre dará a impressão que você está colocando o mesmo objetivo para todas as vagas e que não sabe exatamente o que quer fazer. Textos genéricos são sempre um dos maiores erros no currículo. Seja objetivo e específico, as empresas valorizam quem sabe onde quer chegar.

Obviamente, se o seu Objetivo será específico para cada oportunidade de emprego, seu currículo segue a mesma regra. Não é necessário fazer milhares de currículos, mas sim pequenas adaptações para tornar seu CV mais atrativo.

O que não colocar no currículo 3: Uso de adjetivos

Esse é um dos erros mais comuns em currículos. Já recebi diversos currículos com palavras como: pontual, responsável, organizado, trabalho bem equipe, etc. Não use adjetivo nenhum em seu currículo.

Primeiramente, porque o currículo é um arquivo profissional, então deve ser o mais objetivo possível. Características comportamentais são passíveis de julgamento e opiniões. Elas devem ser mostradas apenas durante o processo seletivo e é o RH que vai concluir se você tem essas características ou não.

Além disso, nenhum adjetivo será um diferencial competitivo em relação aos outros candidatos. Ao dizer que você é pontual, você está descrevendo um ponto óbvio, o mínimo esperado de qualquer colaborador. Mas se você disser “conhecimento de Photoshop avançado”, por exemplo, pode passar na frente de muitos candidatos se a vaga exigir esse skill.

O tópico em que mais se usam adjetivos em um currículo é no de Resumo, que fica bem no começo do currículo. Isso significa que se você trouxer adjetivos e poucas palavras pertinentes, as suas chances de não ser chamado para uma entrevista de emprego são muito maiores.

Então, o que colocar no Resumo? Pense com a cabeça de um recrutador: ele tem em mente um perfil a ser contratado de um lado, e um volume extenso de currículos do outro. Em pouco tempo de leitura do seu currículo, ele tem que encontrar em você o candidato ideal. Portanto, pense: quais as palavras que chamariam a atenção do RH ao ler o meu currículo? Use conhecimentos de plataformas, ferramentas, áreas de atuação e idiomas.

O que não colocar no currículo 4: Currículos longos

Se você acompanhou os erros até aqui, já sacou de cara porque um currículo grande é desclassificado. Então, a falta de tempo dos recrutadores, aliado a um grande volume de currículos recebidos faz com que eles otimizem a leitura ao máximo. Por isso, eles precisam bater o olho nos CVs e encontrar tudo o que precisam de forma mais veloz possível. Currículos longos fazem parte da lista dos principais erros do currículo de diversos profissionais.

“No máximo, um currículo deve ter duas páginas. Independentemente da quantidade de experiências que as pessoas possuírem”, explica a consultora de RH Danielle Lima.

Com isso, currículos grandes dificultam a leitura e mostram um perfil pouco objetivo. Também pode causar a impressão de um currículo genérico, em que o candidato inclui toda a sua vida profissional e envia para o máximo de vagas possíveis.

Uma dica é evitar repetições, frases vagas e adjetivos. Então, se você é gerente de uma área de marketing, por exemplo, não escreva “gerencio uma área de marketing”, porque isso é óbvio. Portanto, busque colocar palavras e chaves pertinentes, que chamem a atenção e encantem o recrutador, que façam ele acreditar que você é o candidato ideal.

Também não é necessário entrar em muitos detalhes, principalmente na parte de Experiências Profissionais. Seja direto e objetivo e fale das principais conquistas obtidas em cada oportunidade de trabalhos. Os detalhes da sua rotina não agregam muito valor e, muitas vezes, são óbvios pois são praticados por vários profissionais na mesma função que a sua.

Erro no Currículo 5: Referências profissionais

Assim como a foto, apenas coloque se isso for demando pelo recrutador. Em todos os outros casos, não use referências profissionais no seu currículo. Do mesmo modo, não diga que você tem referências no seu CV, isso irá ocupar um espaço desnecessário e desviar a atenção do recrutador para o que realmente importa.

Erro no Currículo 6: Mentiras, um dos principais erros no currículo

Esse, certamente, é um dos principais erros no currículo. Mentiras nunca dão certo e, uma hora ou outra serão descobertas. E, isso não é diferente no mercado de trabalho. Com eventos de networking cada vez mais frequentes e o Linkedin como plataforma social, a troca de informações entre recrutadores tem se tornado fácil. Então, encontrar um candidato mentiroso ficou simples.

Assim, conversar com a empresa em que o candidato trabalha e pedir referências é uma prática comum durante o processo seletivo. Por isso, atenção em cada passagem do seu currículo. Pelo mesmo motivo, não se esqueça de manter um bom relacionamento em todas as empresas que passar.

Segundo Danielle Lima, consultora de RH, o erro mais comum é em relação ao nível de idioma. Muitos candidatos dizem ter um conhecimento mais avançado de inglês do que efetivamente tem. “Hoje se fala muito em reputação. Quando uma mentira é descoberta, não pega bem para um candidato. E os profissionais costumam falar disso uns com os outros”, alerta a consultora.

Erro no Currículo 7: Erros de português

O uso das redes sociais e dos corretores automáticos tem deixado os candidatos menos atentos em relação ao português. Erros que vão desde a gramática até a digitação distraída têm ficado mais comuns nos currículos.

A consultora de RH enfatiza: “muitos erros de português podem desclassificar um candidato na hora”. Então, muita atenção com cada palavra usada em seu currículo. Se necessário, peça para alguém ajudar com a leitura e revisão do arquivo.

Summary
Currículo: 7 Erros para acabar agora
Article Name
Currículo: 7 Erros para acabar agora
Description
Mas além de dicas de como escrever cada tópico, queremos ajudar você a evitar os principais erros cometidos em um currículo.
Author
Publisher Name
PraCarreiras
Publisher Logo