Crises exigem agilidade e respostas rápidas para se adaptar as mudanças

Se adaptar as mudanças
TQ SÃO PAULO 17.11.2020 ECONOMIA NEGÓCIOS TECNOLOGIA TI Retratos dos executivos da ServiveNow, empresa de TI. Na foto João Cerqueira. FOTO TIAGO QUEIROZ / SERVICENOW

Crises exigem agilidade e respostas rápidas para se adaptar as mudanças, esse é o tema do artigo de hoje, escrito por João Cerqueira, diretor de consultoria de soluções para a América Latina da ServiceNow.

Tempos de crise exigem agilidade e velocidade dos sistemas de informação das instituições, com isso é necessário se adaptar as mudanças.

A interoperabilidade e a transparência são essenciais para a capacidade destas instituições prestarem serviços que eventualmente tenham que sofrer alterações para acompanhar a rápida adoção de novos processos administrativos e regulamentações.

Não importa a robustez que um ecossistema tecnológico ganhe, o volume de dados que ele armazena ou quantos usuários atende: ele nunca deve se tornar tão complexo que não possa fornecer insights com rapidez e facilidade e cumprir as metas governamentais.

Ou seja, a tecnologia deve oferecer a capacidade de se integrar sem falhas com outras e dar transparência de ponta a ponta da instituição, enquanto mantém a segurança necessária.

Se adaptar as mudanças: Proporcionando a integração

Uma maneira comprovada para proporcionar tanto a integração quanto a visibilidade total consiste em substituir processos manuais por fluxos de trabalho digitais apoiados por inteligência artificial e machine learning.

Esse tipo de transformação digital é a força motriz por trás de uma estratégia de modernização que torna mais rápido, barato e fácil compartilhar informações e prestar serviços, ao mesmo tempo em que aumenta o conhecimento do contexto geral em toda a organização.

Uma única plataforma com capacidades digitais, automação de processos e aprendizado de máquina, principalmente se for baseada em nuvem para viabilizar a escalabilidade, pode fazer com que empresas e governos aperfeiçoem a prestação de serviços e melhorem os resultados tanto para seus funcionários quanto para seus clientes.

Se adaptar as mudanças: Superando o desafio

Uma forma de superar o desafio dos silos de departamentos e dados e, ao mesmo tempo, elevar o nível de colaboração dentro da organização é implementar um hub de conhecimento.

hub pode simplificar o compartilhamento de informações tanto internamente quanto entre organizações externas, prestadores de serviços de saúde, instituições acadêmicas e outros, garantindo também um espaço seguro dedicado à inovação.

Neste local, os órgãos e seus parceiros podem compartilhar melhores práticas, implementar procedimentos operacionais padronizados e acelerar a inovação para avançar na prestação de assistência e outros serviços, além de poder ajudar na racionalização de aplicações, no desenvolvimento de tecnologias de vanguarda e na consolidação de todos os endereços da organização para que ela tenha um local que centralize as informações.

Se adaptar as mudanças: Sucesso do hub de conhecimento

O que determina o sucesso de um hub de conhecimento é uma plataforma que possa funcionar com os múltiplos sistemas que as entidades estejam usando atualmente. Muitas organizações contam com uma combinação de tecnologias novas, legadas e de código aberto.

Geralmente, não faz sentido, em termos orçamentários e operacionais, substituir o sistema inteiro. Ao invés disso, uma plataforma que ofereça interoperacionalidade pode conectar todos os distintos sistemas para melhorar a interação, o engajamento, a troca de informações e a identificação de tendências do mercado.

Outro fator-chave para que as instituições cumpram seus objetivos e suas atribuições é ter visibilidade de ponta a ponta. Isso permite, por exemplo, que organizações que prestam serviços de saúde acessem registros eletrônicos de saúde de usuários e, por meio de processos digitais, possam compartilhá-los com organizações e prestadoras autorizadas.

Com isso, obtêm um campo de visão sobre o histórico médico individual completo, inclusive quando e onde a pessoa recebeu atendimento.

Com processos digitais e visibilidade omnichannel, os caminhos para evoluir outros setores críticos das instituições se tornam mais claros. A comunicação entre todas as partes se torna mais eficiente, garantindo uma melhor percepção dos bons resultados, pontos a serem corrigidos e, principalmente, uma ideia clara da experiência de clientes e usuários.

Leia também – Afinal, como estamos nos sentido um ano após a pandemia?

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui