Você já ouviu falar sobre ambiente tóxico de trabalho? Cada vez mais, a relação com a profissão – que vai além dos benefícios corporativos -, tem ganhado relevância. Hoje vamos falar sobre ambiente de trabalho ruim.

Por isso, conversamos com a psicóloga Fabiane Curvo, especializada em terapia cognitivo comportamental. Vamos entender exatamente como esses espaços tóxicos funcionam e o efeito que eles têm no seu dia a dia.

1.Como identificar um ambiente tóxico de trabalho?

Assim como relações tóxicas, em que existe um grande desgaste emocional envolvido, é como um ambiente corporativo tóxico, mas em escala maior.

“Um ambiente de trabalho tóxico é definido por relações muito desgastantes emocionalmente, muitas vezes até agressivas. É caracterizado por falta de comunicação, problemas de liderança, assédio moral e cobranças excessivas”, explica Fabiane.

Basicamente, um espaço tóxico de trabalho contém:

  • Falta de comunicação;
  • Desorganização;
  • Muita fofoca;
  • Chefes tirânicos;
  • Assédio moral frequente.

Mas atenção, como toda situação de convívio social pode conter desgastes, é preciso uma análise detalhada do espaço e das pessoas afetadas. Só assim, podemos caracterizá-lo oficialmente como tóxico.

2.Como espaços tóxicos afetam o trabalho?


Você já deve ter entendido que trabalhar todos os dias em um espaço desgastante e estressante tem um efeito na sua produtividade. E, isso é ainda pior quando a comunicação não acontece e as cobranças são enormes.

Pois é, um ambiente como esse está diretamente ligado ao nível de motivação dos funcionários em relação ao trabalho. “É comum o alto absenteísmo, quando o trabalhador se ausenta muitas vezes do trabalho. De maneira geral, o reflexo mais comum é o estresse e o desgaste emocional”, diz a psicóloga.

E, com o boom da síndrome de burnout , não é nenhuma surpresa que esse quadro fique ainda mais grave. Com ele, temos efeitos sérios na saúde dos colaboradores.

3.O que fazer diante de um ambiente de trabalho tóxico?

O primeiro passo é tentar melhorar a comunicação entre todos os envolvidos. Isso porque, segundo Fabiane, uma comunicação clara e assertiva, ou seja, direta e objetiva, é o mais importante para manter um ambiente saudável e sem mal entendidos.

4.Como não ser afetado por um espaço tóxico?

É possível evitar os efeitos de um ambiente de trabalho tóxico na sua saúde (física e mental), mas não é fácil. Normalmente, o trabalhador está muito envolvido com a situação, e manter um distanciamento é complicado. É por isso que o ponto anterior é tão importante.

“Quando o ambiente é tóxico, fica quase impossível não se contaminar. A melhor maneira de tentar desviar desse tipo de comportamento é melhorar o processo de comunicação da empresa. Além, claro, de achar pessoas de confiança para apoio”, explica a psicóloga.

5.Com quem falar sobre isso?

Se você percebeu que está em um ambiente de trabalho ruim, o melhor a fazer é buscar suporte. Uma boa ideia é falar com o departamento de Recursos Humanos.

É claro que mudar a cultura de uma empresa depende de muito mais do que apenas uma pessoa falando sobre o assunto. Todas as equipes precisam se envolver na solução de uma questão como essa, e isso pode levar tempo. Ninguém precisa conviver com um ambiente de trabalho ruim.

Mas, buscar trabalhar a comunicação interna e investir em um quadro de funcionários com soft skills bem desenvolvidos pode ser uma solução. No longo prazo, isso tem efeitos positivos tanto na produtividade da empresa como na saúde do seu corpo de trabalho.