Você é uma pessoa tímida? Quando vai participar de um processo seletivo fica nervoso e com vergonha? Então, essa matéria é para você.

A timidez pode ser um desafio para quem depende de uma exposição em público para conquistar um novo emprego ou para ser promovido na carreira. Acanhamento, insegurança e até medo são algumas das características presentes em pessoas tímidas ao serem colocadas em situação de socialização. Nesse artigo, vamos falar sobre como falar em público da melhor forma para se sair bem em entrevistas e dinâmicas de grupo.

Em processos seletivos, o preconceito com relação a timidez vem caindo, ao passo que essa característica já não é mais considerada um defeito dentro das empresas. Existem, inclusive, posições que valorizam um perfil mais tímido e introspectivo.

Mesmo com essa nova realidade, todos passaremos por situações em que teremos que driblar a timidez em prol de um objetivo profissional, seja uma apresentação em grupo ou uma entrevista com um gestor da área. A boa notícia é que com estratégias básicas é possível controlar o nervosismo e equilibras as emoções.

Entrevistamos o Arthur Felipe, analista de desenvolvimento organizacional para discutir as principais estratégias para driblar a timidez e conseguir transmitir o seu discurso sem nervosismo para o recrutador.

Como falar em público: timidez x Introversão

Primeiramente, é importante distinguir timidez de introversão. Embora ambas características acabam por evitar interações sociais, existe uma grande diferença entre esses conceitos. Segundo a BBC Brasil, a timidez está relacionada ao medo, principalmente de ser julgado por outras pessoas. Enquanto a introversão é a simples vontade de ficar só, sem nenhuma implicação de nervosismo ou ansiedade.

De acordo com Arthur, a timidez é um comportamento comum em todos nós, e ela é expressada em diferentes níveis em situações diversas. Mesmo uma pessoa extrovertida, pode ficar tímida quando está em um processo seletivo, por exemplo. O impacto negativo da timidez é ficar impossibilitado de expressar um bom discurso, se apresentar em público ou participar de uma dinâmica de grupo.

Timidez e Introversão não são defeitos em processos seletivos

A ditadura do profissional extrovertido está chegando ao fim. Por muitos anos, o perfil de um colaborador sociável foi associado a um clichê exclusivo de sucesso. As grandes corporações já não pensam assim e hoje valorizam justamente a diversidade de perfis dentro de suas equipes. Algumas áreas se identificam mais com profissionais capazes de isolarem em suas tarefas cotidianos com pouco, ou quase nada, de contato social.

A timidez só é um sinal de alerta em casos em que ela serve como empecilho para obtenção de uma meta pessoal ou profissional. “As empresas estão entendendo que não necessariamente uma pessoa que é introvertida, ou que tenha um excesso de timidez, é incompetente. São relações completamente distintas”, explica Arthur.

Mas afinal como como falar em público de forma eficiente nos processos seletivos?

1. Você não está sozinho

Uma emoção comum de pessoas tímidas é o medo de ser julgado. Um primeiro ponto para driblar a timidez em processos seletivos, portanto, é pensar que você não é o único a ser avaliado em um processo seletivo, todos os participantes estão passando pela mesma situação que você.

Parece bobagem, mas colocar em mente que os recrutadores não estão olhando e julgando apenas você pode trazer uma sensação de segurança. “Precisamos buscar o equilíbrio e, de alguma forma, tentar dominar nossas emoções. Pense que não é você que está sendo avaliado, são as pessoas. Isso vai te dar uma tranquilidade”, garante Arthur.

Outro ponto importante a ser lembrado é que falar em público é um desafio – em diferentes graus – para todo mundo. Todas as pessoas sentem vergonha de falar na frente de desconhecidos, isso é normal.

2. Prepare-se

A preparação é a dica de ouro para quem busca um crescimento profissional e está participando de processos seletivos. O erro mais comum dos candidatos é achar que uma entrevista é um simples bate papo sobre sua trajetória profissional. A verdade é que o discurso sempre precisa ser elaborado de forma estratégica, ele precisa ser pensado e, para isso, é essencial uma preparação prévia.

É importante trazer elementos da sua carreira que se alinhem com o objetivo da contratação e o perfil da empresa. Por isso, é importante estudar sempre sobre a empresa e sobre quem é você como colaborador.

Outro ponto importante para se preparar é a sua apresentação pessoal. Como você pretende contar quem é você aos recrutadores? Em muitas situações, existe um tempo máximo de cerca de um minuto para que você se apresente, então o discurso precisar estar treinado e na ponta da língua. Treino e preparo são dicas valiosas para driblar a timidez em processos seletivos.

“Se prepare. Vai para uma entrevista? Então, estude o que você vai falar”, explica Arthur Felipe. Outra estratégia válida, é procurar as principais perguntas feitas em recrutamentos e treinar as suas respostas. Isso vai impedir que você fique um tempo pensando nas respostas assim que o recrutador te fizer uma pergunta, o que seria uma situação que traria nervosismo.

Ao se apresentar e falar com segurança com o recrutador, você vai ficar mais confiante e, por consequência, menos tímido.

A preparação extrapola o discurso e significa também chegar com antecedência no local da entrevista e até escolher uma roupa traga segurança e conforto.

3. Extravase

Se você é do tipo que trava quando está muito tímido, então uma boa dica é extravasar. Muitos vestibulandos fazem isso um dia antes de suas provas para ingressar na faculdade – e isso funciona.

Tire um dia antes para descansar, ver uma série ou sair com amigos.

4. Foque no que você gosta de falar e como falar isso em público

Uma boa estratégia para acalmar os ânimos, é começar falando de um assunto que você se sente confortável em abordar. A paixão, nesses casos, pode ofuscar o nervosismo.

Arthur aconselha a inserir temas que estejam dentro da sua zona de conforto e que você se sinta seguro em falar. “Quando você gosta de um assunto, independentemente de você ser tímido, introvertido ou extrovertido, isso faz com que você fale bem. Coloque trunfos, coisas que você se orgulha de si mesmo, no meio do seu discurso”, explica.

5. Participe de diversos processos seletivos

Falamos anteriormente sobre a importância da preparação. Além de estudar e preparar o discurso, é preciso treinar na prática. Uma forma eficaz de fazer isso é participar de diversos processos seletivos, principalmente para quem está no começo de carreira ou está muitos anos em uma mesma empresa.

“Comece a participar de vários processos seletivos, mesmo aqueles que você não gostaria de passar. Isso vai te deixar mais seguro para quando você for participar do processo daquela vaga que você julga ser a vaga dos seus sonhos”, ensina Arthur.

O analista de desenvolvimento organizacional destaca ainda que os processos estão mudando nos últimos anos e esse também é um motivo para praticar. “Muitas empresas estão optando por processos totalmente disruptivos, então temos que estar antenados a esse tipo de mudança para não ser pego de surpresa”.

6. Estratégia do papo de elevador

Estar seguro do seu discurso – e do quanto ele está agradando o recrutador – certamente proporcionará mais segurança e menos nervosismo. Conseguir manter-se concentrado no que você está falando tirará sua atenção do fato de você estar tímido, e talvez você até esqueça que estava inseguro.

Para ter um discurso vencedor, Arthur nos ensina uma tática eficiente: a do papo de elevador.

“Pense que você entrou no elevador e encontrou aquela pessoa que você gostaria de ter a oportunidade de conversar. Você tem poucos minutos para se apresentar e contar um pouco da sua história. Então, o ideal seria falar de forma simplificada e trazer as informações que irão te diferenciar das outras pessoas. Aquilo que vai te dar destaque em pouco tempo”, explica Arthur.

Por mais que seu currículo seja extenso, seja objetivo. A objetividade é necessária e valorizada em currículos, cartas de apresentação, dinâmicas e entrevistas de emprego. E o desafio é trazer elementos importante, que destaquem o seu perfil dos outros candidatos, sem pecar no excesso de palavras e na prolixidade.

“Você tem que falar o seu ponto alto, aquilo que vai fazer a outra pessoa querer saber mais sobre você”, diz Arthur.

7. E se der branco no meio da entrevista?

Você seguiu todas as dicas dessa matéria. Preparou sua apresentação pessoas e principais respostas, estudou sobre a empresa e a vaga em questão, foi pontual e focou no que gosta de falar. Mas não adiantou. No meio da sua fala você simplesmente travou. E agora?

Arthur Felipe recomenda, primeiramente, reconhecer que está nervoso em situações como essas. “Diga que você está nervoso porque está muito comprometido com o processo seletivo, que quer tanto que dê certo que acabou se perdendo um pouco no contexto da sua apresentação”.

Nesses casos, tente perceber o que está deixando você mais nervoso naquele momento. Se for o uso do Power Point, peça para continuar sem a apresentação visual, por exemplo. Se tem alguém na plateia que está olhando para você de forma menos acolhedora, olhe para outra pessoa. O importante é respirar fundo, reconhecer que está nervoso e retomar o discurso com calma.

“Os recrutadores reconhecem a humildade quando isso acontece. Eu acho uma característica valiosa nas empresas”, conclui.

Agora que você já sabe como falar em público, que tal treinar antes do seu processo seletivo?

Linkedin: Arthur Felipe Souza Jorge
Instagram: afelipesj

Summary
Como driblar a timidez em processos seletivos
Article Name
Como driblar a timidez em processos seletivos
Description
Como driblar com a timidez em um processo seletivo. Como se sair bem em uma entrevista de emprego. Dicas de currículo e Linkedin.
Author
Publisher Name
PraCarreiras
Publisher Logo