A “entrevista de emprego” pode ser decisiva para uma verdadeira mudança em sua vida profissional. Uma hora de conversa com o recrutador pode direcionar sua carreira para um novo patamar. Na prática, pode significar um salário maior, novos desafios e mais felicidade no ambiente de trabalho.

Conversamos com dois profissionais especializados em recrutamento para entender quais os principais erros e dicas para quem chegou a tão esperada entrevista de emprego. Elencamos os oito principais.

entrevista de emprego

Currículo sem experiência

Já viu nosso vídeo sobre currículo para estágio?

1) Prepare-se

entrevista de emprego

Busque informações sobre a empresa

Então, vamos começar apontando um dos erros mais comuns dos candidatos nas entrevistas de emprego: estar despreparado.

Grande parte dos profissionais encara essa etapa do processo seletivo como uma conversa informal em que o único objetivo é falar de si mesmo. Erro. A entrevista de emprego é a oportunidade de conhecer mais sobre a oportunidade e a empresa. Além disso, é o momento de expor sua vida profissional de forma estratégica. Portanto, trata-se de um momento de negociação entre ambas as partes e, por isso, é muito importante estar preparado.

Assim, a falta de um planejamento nesses casos é muito comum em dinâmicas com recrutadores e headhunters. E, essa pode ser consequência de uma postura confiante demais, de acordo com Thiago Ananias, co founder da 99 hunters.

“Isso tem muita relação com os latinos. Somos mais comunicativos, dominantes e com muita confiança em nós mesmos. A consequência disso é beirarmos a arrogância e acharmos que podemos dar conta da entrevista sem ao menos ler sobre a empresa”, aponta.

É imprescindível estudar sobre a empresa antes da entrevista. Não basta apenas ler o site institucional. É importante procurar notícias sobre a companhia na internet para saber como ela se expõem no mercado. Quais iniciativas possui e até o direcionamento do negócio. Também podemos acrescentar a visita nas páginas sociais como Linkedin e Facebook para saber mais sobre a comunicação utilizada, eventos promovidos e ações apoiadas.

Conhecer a identidade da empresa é fundamental. Isso vai permitir argumentos mais sólidos para justificar o motivo de você ser o candidato ideal para a vaga. Além disso, vai permitir que você faça as perguntas certas ao recrutador.

2) Tenha um discurso pronto

Já tive a oportunidade de entrevistar muitos candidatos para trabalharem em minha equipe. E, como gestora posso apontar que muitos candidatos costumam se perder em seu próprio discurso. A impressão que dá é que os profissionais não sabem exatamente o que querem responder para cada tipo de pergunta. Uns falam demais e pecam na objetividade, e outros se expressam precariamente e nos deixam em dúvida sobre a suas qualificações.

Ao entender mais sobre a empresa, é possível criar um discurso – verdadeiro e objetivo – que construa os principais pontos da sua carreira de forma condizente com a identidade da companhia em questão.

A analista de Recursos Humanos da TransUnion, Anna de Sales, destaca a importância de ser dono da sua própria história. “É muito comum candidatos que contam a história totalmente fora de ordem, o que acaba deixando o recrutador confuso ou até mesmo inseguro sobre a pessoa. O recrutador quer te conhecer, saber sobre suas experiências, projetos, motivos de saída de empresas. Então, ser o dono da sua própria história é fundamental”, diz.

Tenha um discurso pronto antes da entrevista de emprego

Ter um discurso pronto facilita em uma das questões mais comuns de um processo seletivo: Fale um pouco mais de você?

Essa é a pergunta que vai condicionar o recrutador a acreditar – ou não – que você é o candidato ideal para a oportunidade de emprego. Conte sua experiência profissional de forma resumida, destacando os pontos que você julgar mais importantes para o recrutador. Se a empresa é varejista e focada em metas, por exemplo, ressalte um case em que você tenha trazido bons números para o seu trabalho, por exemplo.

Importante seguir uma ordem cronológica para tornar o discurso mais organizado. Comece da primeira oportunidade até a atual, ou faça o contrário.

Esse não é o momento de falar da sua vida pessoal. “O que queremos saber é um breve histórico acadêmico, trajetória profissional e projetos de destaque. O foco não é a vida pessoal, mas sim competências técnicas e experiências”, ressalta Anna Sales.

3) Cuidado com a sua postura

Você está sendo julgado. O recrutador tem uma hora, ou menos, para decidir se você será selecionado para a próxima etapa e esse tempo é curto para chegar em uma conclusão. Por isso, o profissional de RH repara ao máximo na postura do candidato para ser o mais assertivo possível.

“Tudo está sendo observado. Desde o tom e expressão da voz, até se o candidato se mostra muito ansioso e impaciente, por exemplo. E isso será levado em questão para entender se o candidato tem o perfil da vaga”, aponta Thiago.

Nesse sentido, Thiago aconselha evitar máximas como “eu odeio tal coisa” ou “eu amo fazer determinada atividade”, pois isso pode “comprometer o candidato com questões subjetivas e pessoais”, conclui.

Já presenciei um caso de um candidato ser eliminado porque disse que odiava realizar determinada atividade, que, na função em questão, havia a possibilidade de ela aparecer dentro de sua rotina.

Evite temas polêmicos na entrevista de emprego

Também é importante evitar temas polêmicos como política e religião, destaca Anna Sales. “No final, é uma pessoa que está te entrevistando, e ela tem suas próprias crenças e convicções”, ressalta. Piadas, segundo Anna, podem ser bem-vindas para uma quebra de gelo inicial, mas isso deve ser feito com cautela e com muita observação sobre o clima da entrevista.

“Todo processo seletivo é um exercício de empatia”, conclui Thiago Ananias.

4) Treine para as principais perguntas feitas durante uma entrevista de emprego

No Google você pode encontrar as principais perguntas feitas por recrutadores. Uma dica é fingir que está em uma entrevista e responder cada uma delas. Anote em um papel os tópicos importantes para cada pergunta e treine.

Seja autocrítico na análise de suas respostas e entenda exatamente quais tipos de informações o recrutador quer saber com cada uma delas.

Por exemplo, quando é perguntado “por que você gostaria de trabalhar aqui”, o recrutador quer saber se você se identifica com a empresa. Se a empresa tem uma cultura de ser inovadora, eles querem enxergam em você um profissional que possa acompanhar esse ritmo. Se a empresa está tentando crescer na sua área de atuação, é importante mostrar no seu discurso que você pode contribuir para isso.

Outra pergunta comum é: como você se vê daqui a cinco anos? Essa é uma questão sagaz. O que o recrutador quer saber é se o candidato pretende ficar nessa área de atuação, em quanto tempo pretende conquistar um cargo maior e se valerá a pena conceder investir nesse profissional no longo prazo.

5) Faça perguntas

Lembre-se que uma entrevista é uma troca e você também está analisando se quer realmente trabalhar naquela empresa. Portanto, é importante fazer perguntas ao recrutador. Além de deixar o candidato mais informado sobre a oportunidade, fazer perguntas mostra interesse.

“O ideal é que a entrevista seja um diálogo em que os dois lados possam aprender: o entrevistador sobre o candidato e o candidato sobre a empresa. É muito importante tirar todas as dúvidas durante a entrevista”, aponta Anna Sales.

Questionar sobre a empresa, a vaga, as expectativas sobre o profissional que será contratado, entre outras dúvidas, farão com que você se sinta mais seguro sobre a companhia, o que evita frustrações futuras.

Porém, não é uma boa estratégia listar um monte de perguntas e usar grande parte da duração da entrevista com questionamentos. “Saiba o que perguntar e isso você só vai saber se tiver se preparado para a entrevista”, ressalta Thiago Ananias.

6) Atente-se ao relacionamento com o recrutador

Lembre-se que, independentemente da sua área de atuação, o mercado é minúsculo e todo mundo acaba se conhecendo. Muitos profissionais de RH costumam participar de pequenos eventos com trocas de informações sobre processos seletivos. Então, busque manter um bom relacionamento do os recrutadores.

“Já vi candidato ser eliminado porque decidiu atravessar o RH e falar diretamente com o gestor da área. Não pegou bem. O gestou entrou em contato conosco e disse que não queria mais continuar com esse processo seletivo porque enxergou no candidato uma falta de subordinação e respeito com o RH”, conta Thiago Ananias. É importante tratar apenas com as pessoas designadas a falar com você durante o processo. Portanto, não envie mensagens para o gerente da área pelo Linkedin, por exemplo, enquanto está na etapa de conversa com o RH.

Linkedin 4 erros que você está cometendo

Linkedin 4 erros que você está cometendo

Outro caso comum é o de candidatos com posturas grosseiras ou impacientes. “Já lidei com um candidato que foi extremamente rude em um primeiro contato, pois ele não estava buscando vagas naquele momento. O mercado em geral é muito pequeno, e eu conheço vários profissionais que não retomaria contato com ele por causa desse incidente”, conta Ana.

7) Como falar de uma demissão em uma entrevista

Aqui a regra é não mentir. Pois, com o extenso networking promovido por eventos e pelo Linkedin, a comunicação entre recrutadores ficou mais ágil e intensa. Por isso, caso haja uma mentira, ela pode ser facilmente descoberta.

“Transparência é a chave. Tente trazer de forma clara e objetiva o motivo da sua demissão. Já tive um caso de uma pessoa que foi demitida por não conseguir trazer resultados. Esse candidato então justificou que a partir disso fez um curso para melhorar suas técnicas de vendas e que isso o deixou muito mais confiante hoje”, explica Ana.

Não tenha medo de abordar o assunto. Você encontra uma matéria completa sobre esse tema aqui.

8) Com qual roupa eu vou?

Seja sempre neutro

Prestar atenção na sua imagem também é importante. “O traje está cada vez mais aberto no mercado de trabalho. O que eu indico para as pessoas é entrar no Facebook da empresa e tentar identificar se ela tem algum código de vestimenta”, indica Anna Sales.

Porém, caso você não encontre informações assertivas, aposte no neutro. Uma camisa e calça social tendem a estar adequados em grande parte das empresas.

Evite usar muitos acessórios, decotes e roupas curtas. Seja profissional.

Em resumo, se prepare para uma entrevista de emprego, essa é a dica essencial! Ou seja, leia tudo com calma e prepare-se!

Ficou com alguma dúvida? Escreva pra gente. Iremos adorar ajudar!

Summary
8 Dicas para arrasar na Entrevista de Emprego
Article Name
8 Dicas para arrasar na Entrevista de Emprego
Description
Como se sair bem em uma entrevista de emprego. Dicas sobre entrevista, currículo e carreira. Como fazer um currículo. Entrevistas motivacionais.
Author
Publisher Name
PraCarreiras
Publisher Logo