Você acabou de ingressar no mercado de trabalho ou ainda está na faculdade e não tem experiência profissionall. Como conseguir um emprego assim? Fato, cada vez mais os empregadores e as empresas têm buscado profissionais já capacitados, logo de cara (mesmo para uma posição de estágio), mas você não precisa desanimar.

Conversamos com Marcelo Henrique Carvalho, sócio-diretor da consultoria de recrutamento ARTTURO, para saber como agir quando você não tem o que colocar no seu currículo além da sua formação acadêmica.

1. Como me preparar para o mercado de trabalho?

Falando em formação acadêmica, a melhor forma de você se preparar para as futuras experiências profissionais é, justamente, cuidando dos seus estudos. Além da faculdade ou do curso técnico, vale a pena buscar se aprofundar: “As especializações (MBA e Pós-Graduação) são muito bem vindas nesta etapa da carreira e o inglês é um enorme diferencial. A leitura e os estudos devem ser acentuados nesse momento”, explica Marcelo. Segundo ele, esse é um grande diferencial e algo que as empresas valorizam muito na hora de contratar um profissional novo.

2. Como estagiar, se não tenho experiência profissional?

Aqui, vale a insistência e, principalmente, a persistência. Marcelo recomenda buscar empresas que não peçam por esse tipo de currículo (acredite, elas existem), e insistir nas vagas que você encontra. É importante lembrar que o estágio é, justamente, uma oportunidade para os jovens profissionais começarem a praticar a profissão e desenvolverem experiência. Portanto, mostre o seu interesse e desejo de aprender.

3. Como montar um currículo quando não tenho experiência?

Crédito foto: Tirachard Kumtanom / Pexels

“Profissionais estreantes no mercado de trabalho, devem enfatizar sua formação acadêmica e especializações em sua área. A realização de cursos e participação em eventos também demonstram o grau de interesse e proatividade do profissional. O nível avançado nos idiomas inglês e espanhol são grandes diferenciais para ingressar no mercado. A citação de livros e estudos também agregam na apresentação do currículo”, explica o diretor. Existem muitos outros tópicos no seu currículo que podem ser destacados além das experiências profissionais.

4. Como me apresentar para um recrutador, considerando o currículo de novato?  

As palavras-chaves aqui são: maturidade e interesse. Elas são demonstradas através da sua trajetória acadêmica, os seus estudos e envolvimento em cursos e palestras nas áreas que gostaria de trabalhar. Ah, vale lembrar que o trabalho voluntário, apesar de não remunerado, é um fator de destaque em qualquer currículo e que demonstra muito do seu caráter para o futuro empregador.

5. Não consigo trabalho, mas quero desenvolver experiência profissional. O que fazer?

Aqui, vale a pena a pesquisa de campo – ou seja, networking! Conheça pessoas da sua área, busque entender como elas trabalham, acompanhe de perto um dia da sua rotina e se interesse por saber como ela funciona. Por mais que os estudos sejam total de sua responsabilidade, a parte prática só é adquirida, claro, na prática. Mas enquanto você não consegue um trabalho formal ou uma oportunidade de estágio, pode buscar entender o máximo que puder sobre como a sua profissão funciona no dia a dia, desenvolvendo relacionamentos com pessoas que já têm essa experiência.

“A maturidade profissional pode ser desenvolvida através de relacionamentos com outros profissionais de mercado e os melhores locais para esta aprendizagem são em cursos, eventos, palestras e leituras. É notório para um recrutador distinguir candidatos, que enfrentam a mesma dificuldade no mercado de trabalho, entre aqueles que ‘aguardam’ por oportunidades e candidatos que se ‘preparam e buscam’ uma oportunidade”, diz Marcelo.

6. Não tenho dinheiro para investir nos estudos, e agora?

Calma, por mais que o direito a estudos considerados “de qualidade” sejam caros no Brasil, você pode encontrar outros meios de se especializar e adquirir mais conhecimento na área que você gostaria de atuar. Você pode, por exemplo:

  • Estudar em bibliotecas públicas;
  • Participar de eventos gratuitos;
  • Aprender o máximo que puder na própria internet;
  • Buscar cursos gratuitos (Universidades Federais e Estaduais oferecem opções, inclusive de língua inglesa).

Em resumo: se você ainda não tem experiência profissional, o momento é de estudos. Aprofunde-se o máximo que puder na sua área e seja curioso! Converse com pessoas, busque entender como esses profissionais já conceituados trabalham, e procure entender como você pode ser útil.

Para isso, observe o mercado, busque se relacionar com outras pessoas do ramo e fique atento! Quando você menos esperar, vai encontrar a oportunidade perfeita para colocar a sua teoria na prática.