Google search engine
InícioNotíciasTransformação Cultural e seu papel no desenvolvimento das empresas

Transformação Cultural e seu papel no desenvolvimento das empresas

Transformação Cultural e seu papel no desenvolvimento das empresas, esse é o tema do artigo de hoje, escrito por Alexandre Velilla, empresário que reúne em sua trajetória profissional mais de 25 anos de experiência em empresas nacionais e multinacionais.

Estabelecer um mindset inovador e colaborativo é o primeiro passo para qualquer transformação empresarial.

Para seu sucesso, uma mudança de cultura deve ser o pontapé inicial.

A Transformação Digital tem alterado a forma de fazer negócios nos últimos anos. Digo isso porque, com todo seu potencial de proporcionar eficiência e escalabilidade às empresas, temos visto o surgimento recente de verdadeiros impérios empresariais, instituições que tem utilizado toda a tecnologia para gerar maior assertividade no dia a dia das pessoas, adaptando-se de imediato aos novos padrões de comportamento.

Transformação Cultural: uma ideia

Para se ter uma ideia, de acordo com uma pesquisa realizada pela Brasscom, foi constatado que a Transformação Digital deve movimentar cerca de R$ 250 bilhões até 2021. Tal investimento será aplicado em conceitos como Internet das Coisas (IoT), Big Data, Inteligência Artificial, entre outros.

Para o sucesso da Transformação Digital, no entanto, o fator primordial é a efetiva promoção de uma mudança cultural dentro das organizações. Inclusive, esse papel é um dos principais desafios que os CEOs tiveram ao assumir seu posto, visto que impulsionar essa mudança de mindset dentro de suas organizações foi uma das principais necessidades corporativas nos últimos anos.

Transformação Cultural: as empresas e as lideranças

Isso demostra que a cada dia as empresas e as novas lideranças estão mais atentas aos processos de transformação, não apenas em atividades e processos mecânicos, mas também na forma de agir e lidar com a gestão da companhia e de seus profissionais diariamente.

Ademais, quando pensamos em mudança de cultura, de acordo com o livro “Mindset: A nova psicologia do sucesso”, escrito pela professora de Stanford, Carol Dweck, a transformação cultural está diretamente associada ao mindset, uma vez que é possível cultivar qualidades básicas a partir dos esforços particulares.

Transformação Cultural: o conceito

Desta maneira, quando aplicamos esse conceito ao universo corporativo, é fácil perceber que, uma vez que estimulamos nossas equipes, promovendo uma transformação cultural genuinamente inovadora, todo o cenário da empresa tende a ser aperfeiçoado.

Apenas para contextualizar, gostaria de apontar, ao meu ver, quais são os principais pontos para a mudança do mindset e a construção de uma cultura organizacional vencedora dentro das empresas.

Transformação Cultural: para inovar é preciso se arriscar

Quando pensamos em inovação, cometer erros é algo quase que inevitável. Dessa maneira, é preciso aprender e lidar com eles, entendendo que qualquer transformação só será possível uma vez que você utilize todo seu aprendizado como maior aliado. Isso significa que punir os erros está na contramão da descoberta de ideias inovadoras.

Transformação Cultural: ousadia é essencial

Uma vez que o gestor de uma empresa permite que seu time trabalhe com os objetivos de forma mais ousada e dinâmica, a companhia como um todo tende a ganhar. Isso porque todos os profissionais estarão dispostos a darem o melhor de si pelo seu crescimento profissional e, por conseguinte, do negócio.

Transformação Cultural: é preciso estar atento às mudanças

Para que uma transformação ocorra de fato, é importante que os gestores mantenham uma vigilância constante nas ações do dia a dia, seja em operações ou no comportamento de sua equipe. Afinal, mudar a cultura não é apenas pregar um quadro de avisos, é demonstrar e aplicar os valores que você quer guiar seus negócios.

Transformação cultural vem antes da transformação digital

Como exposto, a cada dia, os gestores estão mais atentos aos movimentos da transformação digital, vendo seu potencial de acelerar processos manuais, gerar maior eficiência e redução de custos. No entanto, uma coisa que muitos profissionais ainda não entenderam é que qualquer mudança para o cenário disruptivo só será possível com a transformação de toda a estrutura empresarial, envolvendo, principalmente, uma nova mentalidade cultural.
Assim, para que possamos reconhecer nossas empresas como verdadeiras máquinas inovadoras, é preciso que a mudança, antes de qualquer coisa, seja percebida internamente. Ou seja, é essencial que os colaboradores se inspirem e estejam determinados a encarar esse novo desafio de forma engajada, colaborativa e com criatividade.
Neste processo, vale ressaltar que o CEO exerce um papel indispensável, uma vez que ele será o responsável pelo pontapé inicial rumo a uma nova cultura organizacional dentro da empresa e, por conseguinte, à Transformação Digital. Além disso, é papel dele inspirar todo seu time, encorajando-os a estarem alinhados às novas estratégias da companhia, sendo ele (CEO) ponto de referência e, modelo.

Outro ponto nessa transição cultural – talvez o mais importante – é lidar com essas mudanças de forma colaborativa. Para tanto, mais uma vez esse processo deve partir dos gestores, que precisam desenvolver um planejamento organizacional levando em conta os anseios de seus colaboradores, clientes e da sociedade como um todo.

Desta forma, com toda certeza, você estará direcionando sua corporação em direção ao futuro que, inclusive, já chegou!

Transformação Cultural: sobre Alexandre Velilla

Alexandre Velilla é pós-graduado (PMD) pelo IESE – University of Navarra e formado em Ciências Econômicas pela USCS e em Ciências Contábeis pela UNISA. Tem mais de 25 anos de experiência, em empresas nacionais e multinacionais, nas áreas de finanças, controladoria e administração, além de auditoria e consultoria.
Já passou por companhias como KPMG Brasil, Boston Scientific do Brasil, EY, e CEL.LEP. Experiência alicerçada em Estratégia, Gestão e Finanças. Velilla também é apresentador de TV do programa “Café com CEO” e jurado titular do “Batalha das Startups”, ambos da Record News. Além disso, é membro dos Comitês Estratégicos de CEOs e de CFOs da AMCHAM, membro do conselho consultivo do CEAP (melhor ONG de Educação do Brasil em 2019 e do Sudeste em 2020) e Vice-Presidente de Inovação do IBEF-SP (Instituto Brasileiro de Executivos de Finanças).
É também empresário, sendo sócio-fundador da Quest Construções, sócio da Flex Interativa e investidor-anjo no BR Angels. Em 2020, foi eleito Profissional do Ano pela ANEFAC (Associação Nacional dos Executivos de Finanças, Administração e Contabilidade), na 35ª edição do prêmio.

O PraCarreiras e a mentoria de carreiras

O PraCarreiras também faz uma mentoria de carreira, com preparação de currículo, LinkedIn, dinâmica de grupo e ensaio de entrevista de emprego.

Oferecemos soluções completas para que o profissional se posicione de forma adequada nos processos seletivos.

Para conhecer mais sobre os tipos de mentoria de carreira, clique aqui

Acompanha a gente no Instagram.

Conheça todas as Soluções do PraCarreiras.

Quer falar com a gente? Entre em contato no nosso WhatssApp.

RELATED ARTICLES

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

- Advertisment -
Google search engine

Most Popular

Recent Comments

luiz orivan boccalletti junior on Análise de currículo grátis – Sorteio 2020
Amanda Galhardo on Fui demitido, e agora? Confira
Ana Carolina Okubo on Como montar um currículum vencedor?
Carlos Eduardo on Fui demitido, e agora? Confira
Fale com o PraCarreiras