Lab 99 lança programa de treinamento para estudantes de jornalismo

Lab 99 lança programa de treinamento para estudantes de jornalismo
Lab 99 lança programa de treinamento para estudantes de jornalismo

99 e Folha de São Paulo se unem para criar Lab 99 e Folha SP de Jornalismo: oficina gratuita para estudantes do último ano de jornalismo

O Lab, projeto criado pelo aplicativo de transporte 99, promove uma oficina gratuita e online para estudantes do último ano da faculdade de jornalismo ou formados há até dois anos.

Serão selecionadas 30 pessoas de todo o Brasil que passarão por um treinamento com jornalistas conceituados da Folha de São Paulo, parceira do programa nesta edição.

Os selecionados terão dois finais de semana com aulas online e gratuitas, e terão quase um mês para produzir conteúdos exclusivos sob a mentoria de editores da Folha de S. Paulo. Todas as matérias serão publicadas em edições impressa e online do jornal.

As três melhores serão premiadas em dinheiro na categoria Jovens Jornalistas do Prêmio 99 de Jornalismo.

O tema deste ano é “A cidade é uma só: estratégias para superar as desigualdades urbanas”.

As inscrições vão até o dia 19 de julho. Para se inscrever os interessados podem clicar aqui e preencher o formulário no site oficial do projeto.

Para explicar mais sobre como é a participação no programa, conversamos com estudante de jornalismo, Mayara Paixão, participante do Lab no ano passado e que hoje é estagiária na Folha de São Paulo.

Como foi pra você participar do Lab em 2019?

A participação no Lab 99 foi muito construtiva. Trouxe aprendizados durante o processo de formação ao lado dos colegas, e também deixou legados posteriores. Permanecemos conversando, em uma espécie de rede, que nos permitiu articular jovens jornalistas de todas as regiões brasileiras. Além disso, certamente sou uma pessoa mais atenta às pautas de mobilidade urbana após essa experiência.

Quais foram os seus desafios na realização?

O principal desafio foi estruturar uma pauta que fugisse do comum, ao mesmo tempo que estivesse atenta aos desafios cotidianos das pessoas. Além disso, olhar para a mobilidade urbana como um tema propositivo, que ampliasse o direito à cidade, e não apenas como um campo com problemas e malfeitos.

Acha que trouxe aprendizados para a sua vida profissional? Quais?

Tenho certeza. O Lab aumentou meu entusiasmo com o trabalho compartilhado e colaborativo. Ouvir, mediar e estar aberto a mudar de ideia foi essencial nos dias de formação e na construção do texto. O trabalho final sai enriquecido, menos ensimesmado. Além disso, com o Lab, desenvolvi minha primeira pauta que pensava um tema predominantemente discutido por adultos sob a perspectiva das crianças. Foi um pontapé inicial para que eu olhasse para o jornalismo como um campo que deve enxergar os pequenos cidadãos como protagonistas das pautas e discussões.

O programa teve algum ganho na sua vida pessoal também?

Sim. Ficar em terceiro lugar na premiação, ao lado da Ana Luisa (SE), foi um grande incentivador para que eu reafirmasse que propor pautas e sair da zona de conforto pode render bons frutos. Além disso, o contato com colegas de diferentes regiões e territórios trouxe ensinamentos para além da mobilidade urbana ou do jornalismo.

Lab 99 lança programa de treinamento para estudantes de jornalismo
Três melhores matérias feitas pelos estudantes no LAB 99 ganham premiação.

Qual a importância de estudantes participarem de projetos como esse?

Ao menos em São Paulo, percebo que nós, estudantes de jornalismo, começamos a trabalhar cedo. Isso se deve às condições econômicas, certamente, mas também à necessidade de praticarmos a profissão, nos inserirmos prontamente no mercado de trabalho. Vejo o lado positivo disso, pois foi o meu caso. Mas também vejo que essa realidade, por vezes, cerceia nosso espírito criativo e nossas possibilidades de propor o diferente, mesmo que nos equivoquemos no caminho. É preciso espaço para criatividade, troca e incentivo aos jovens jornalistas. O Lab é um desses espaços.

Olhar para a mobilidade urbana de uma forma diferente te trouxe aprendizados sobre o papel de ser jornalista?

Com certeza. Mobilidade urbana é um dos temas que afetam diretamente o cotidiano de todo e qualquer cidadão. É claro que isso varia profundamente de acordo com classe, raça, gênero e território. E pensar essas intersecções é fundamental. Mas, uma vez que é um tema de interesse público tão latente, também é essencial para o jornalismo. O Lab 99 permitiu expandir meu olhar para o leque de pautas em torno desse tema. Se antes estava centrada na perspectiva do usuário, depois compreendi que pensar na gestão pública e na inovação tecnológica, por exemplo, são temas tão importantes quanto.

Qual mensagem você deixaria para quem quer participar da edição deste ano?

Que não deixe de participar, que seja criativo, não tenha medo de propor ideias. E que vá com a mente aberta, para aprender com os facilitadores e, principalmente, com os colegas. A troca proporcionada pela diversidade regional é muito rica.

Quais seriam as 3 principais dicas que você daria para quem quer passar nesse processo seletivo?

– Lembre das pautas positivas. É certo que problemas, desafios e desigualdades gritam aos olhos e devem ser agenda prioritária. Mas falar do que há de bom, de experiências populares que renderam bons frutos, também é importante para os leitores;
– Proponha o que acha importante ser abordado, mas também se lembre de fugir do comum e do que já circula hegemonicamente na mídia;
– Lembre que o Brasil tem estruturas continentais, mas que experiências territoriais são ricas e devem ser pautadas.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui