Metade dos profissionais fica sem aumento durante a pandemia, revela pesquisa

aumento durante a pandemia

Maioria dos setores avaliados não reajustou salário de seus colaboradores.

Maior parte dos profissionais de segmentos beneficiados com a disseminação do coronavírus, como Engenharia e Manufatura; Imobiliário e Construção; Supply Chain & Operações; Seguros; e Vendas, recebe aumento acima da inflação

Metade dos profissionais ficou sem aumento durante a pandemia. É o que aponta recente pesquisa realizada pelo PageGroup, líder global em recrutamento executivo.

De acordo com o Estudo de Remuneração 2021, foi registrada estabilidade ou queda salarial em 50,6% dos cargos avaliados em relação ao mesmo estudo do ano passado.

Aumento durante a pandemia: Reposição salarial

Os casos de reposição salarial representaram 49,4% dos cargos, puxados especialmente pelos segmentos beneficiados pela pandemia, como Engenharia e Manufatura; Imobiliário e Construção; Supply Chain & Operações; Seguros; e Vendas.

“A dura crise sanitária global causada pela pandemia do novo coronavírus refletiu diretamente na remuneração de muitos profissionais, especialmente aqueles que trabalham em setores afetados de alguma forma.

Vimos que metade dos cargos ficou sem qualquer tipo de reajuste salarial enquanto a outra parte conseguiu ter acréscimo na remuneração, especialmente por fazer parte de algum dos segmentos beneficiados pela pandemia.

Essa nova fase que o país atravessa, impactada pela pandemia, causou um sobe e desce nas remunerações de muitos profissionais. Em contrapartida, as empresas se adaptaram rapidamente para o online e isso aumentou o dinamismo nas equipes.

Aumento durante a pandemia: Os desafios

Apesar dos desafios do engajamento das pessoas, as empresas têm oferecido mais flexibilidade e estão mais abertas à inovação. O tempo que os líderes passam com suas equipes dedicando atenção às relações de trabalho se tornou mais produtivo”, explica Gil van Delft, presidente do PageGroup no Brasil.

Para elaborar o estudo, o PageGroup consultou no ano passado 6 mil profissionais de todo o Brasil para entender quais são suas reais impressões sobre o mercado atual. A partir dessa consulta, a companhia conseguiu traçar a remuneração mensal de 601 cargos em 14 setores (Engenharia & Manufatura, Supply Chain e Operações, Varejo, Vendas, Marketing & Digital, Tecnologia da Informação, Jurídico, Saúde & Life Science, Financeiro & Tributário, Seguros, Bancos e Serviços Financeiros, Recursos Humanos, Imobiliário e Construção e Secretarial & Business Support).

Os cargos foram listados em faixas salariais mensais que variam de acordo com a experiência do profissional (júnior, pleno, sênior ou coordenador) e porte da empresa (pequeno, médio ou grande).

Aumento durante a pandemia: Remunerações estáveis predominam em 8 de 14 setores

De acordo com o Estudo de Remuneração 2021, a maioria dos setores pesquisados apresentou manutenção da média salarial quando comparado com o levantamento anterior.

Remunerações estáveis predominaram nos segmentos de Bancos e Serviços Financeiros, Saúde e Life Science, Financeiro e Tributário, Direito, Marketing & Digital, RH, TI e Varejo. O único setor onde a redução salarial predominou foi Secretarial & Business Support, com quedas registradas em 66,6% dos cargos.

Aumento durante a pandemia: Remuneração por áreas

Bancos & Serviços Financeiros

Seguindo uma demanda que já havia sido estabelecida pelos bancos digitais e fintechs, os bancos tradicionais estão seguindo a procura de profissionais com foco no cliente.

Atualmente é esperado que os profissionais de bancos e serviços financeiros sejam flexíveis e adaptáveis. Uma mentalidade que consiga se adaptar a diferentes ambientes e saiba lidar com novas funções é valorizada nesse cenário.

Os bancos tradicionais fazem parte de um mercado no qual a remuneração é um dos maiores pontos de atração. Hoje, do lado digital, há um aumento de total compensation em conjunto com stock options que faz com que os benefícios também fiquem mais interessantes.

Remuneração – Média

Cargos que tiveram aumento – 0,2%

Cargos que tiveram estabilidade – 90%

Cargos que tiveram queda – 9,8%

Cargos que tiveram maiores aumentos ou quedas salariais: 

Analista de Costumer Experience: – 14,29%

Analista de Produtos Pleno em Fintechs: – 13%

Analista de Desenvolvimento de Produto Júnior em Fintechs : + 6,6%

Aumento durante a pandemia: Engenharia e Manufatura

A indústria vem retomando suas operações desde o final de julho de 2020 com indicadores positivos, apesar da instabilidade do cenário com a pandemia do covid-19. O volume de produção está sendo reestabelecido e, algumas delas, já estão operando na capacidade máxima.

“A capacidade média de operação da indústria está em seu maior patamar desde 2014. Por outro lado, é nítida a falta de matéria-prima, além do alto custo gerado por esse balanço entre oferta e demanda. O cenário da indústria será bem desafiador nos próximos meses”, conta Luiz Seixlack, Associate Partner da Page Executive, especializado no recrutamento e seleção para a indústria.

Aumento durante a pandemia: O perfil do profissional da indústria

Em função do momento atual, o perfil de profissional exigido pelo mercado está passando por uma transformação, que continuará mudando para se adaptar ao cenário de constantes incertezas. Dessa forma, o perfil que demonstrar resiliência, flexibilidade e capacidade de adaptação terá mais sucesso para enfrentar esses desafios.

Além disso, o profissional deve continuar antenado em novas tecnologias e em como trabalhar de forma mais eficiente. Saber lidar com um grande volume de dados, de forma analítica e agregando ferramentas digitais e marketing será a tônica para o mercado ao longo dessa recuperação.

“Na prática, é um profissional que consegue entender o cenário em que está inserido, se adaptar junto com a equipe e tomar decisões rápidas acompanhando o movimento do mercado, negociando com fornecedores, estando atento à variação cambial, lidando com a flutuação da matéria-prima, adotando os novos protocolos de segurança sanitária e a transformação digital”, explica Luiz.

Em posições de liderança, as empresas têm buscado gestores que consigam desenvolver e reter suas equipes. “O afastamento entre as pessoas gerado pela pandemia pode afetar a produtividade.

Um perfil demandado é de quem é capaz de manter o time coeso, respeitando o espaço e forma de trabalho individuais. É um gestor menos executor, que delega mais e deixa o time mais autônomo”, acrescenta. Na alta liderança, o foco continua sendo na redução de custos, melhoria de performance e adoção de estratégias para alavancar a carteira de clientes.

“Se o profissional entendeu a movimentação do mercado e desenvolveu suas competências diante disso, tem total chance de evoluir em seu plano de carreira. Por outro lado, caso não acompanhe essa transformação, ou será substituído ou ficará estagnado”, alerta.

Remuneração – Média

Cargos que tiveram aumento – 99.8%

Cargos que tiveram estabilidade – –

Cargos que tiveram queda – 0,2%

Cargos que tiveram maiores aumentos ou quedas salariais:

Gerente de SSMA (Indústria Farmacêutica): 6%

Gerente de Melhoria Contínua (Indústria Farmacêutica): 6%

Gerente de Melhoria Contínua (Indústria Automotiva): 5%

Aumento durante a pandemia: Financeiro & Tributário

Em 2020, as posições de Financeiro e Tributário que apresentaram maior demanda foram Controller e Gerente de FP&A. Historicamente essas posições são muito exigidas em termos de volume, uma vez que fazem parte de áreas delicadas e necessárias para as empresas.

Os melhores perfis, principalmente caracterizados por aqueles que contam com visão de negócio e inglês fluente, são raros de achar e exigem um grau de complexidade no recrutamento.

As posições consideradas como as mais difíceis de se encontrar são as de Especialista Tributário de Indiretos com inglês fluente, Gerente de Structured Finance e Diretor Financeiro.

Remuneração – Média

Cargos que tiveram aumento – 40%

Cargos que tiveram estabilidade – 42%

Cargos que tiveram queda – 18%

Cargos que tiveram maiores aumentos ou quedas salariais:

CFO: 62%

Analista de Contas a Pagar Júnior: 18%

Analista de Tesouraria Sênior: 15%

Auditor Interno: – 18%

Aumento durante a pandemia: Saúde e Ciências da Vida

Hospitais, unidades de saúde e centros de ciência estão tendo que lidar com muitas mudanças em seus modelos organizacionais por estarem no núcleo dos acontecimentos do covid-19.

Ao liderar a crise na linha de frente, o mercado de saúde apresenta maior busca por profissionais assistenciais devido ao aumento do número de pessoas contaminadas com necessidade de assistência hospitalar.

Além disso, é percebido um aumento nas contratações por conta da regularização e atualização dos procedimentos via ANS para a cadeia de serviços e desenvolvimento de novos produtos para as indústrias de saúde de modo geral.

Em um momento desafiador de crise sanitária, fica menos tolerante a baixa performance e aumenta a busca por profissionais com atitude e execução. “Fica evidente quem são os profissionais acomodados que estão se escondendo atrás de uma estrutura organizacional.

Por isso, a demanda por profissionais protagonistas aumenta”, conta Ricardo Guerra, Gerente de Recrutamento para a divisão de Healthcare & Life Sciences da Michael Page.

Organizações que sofreram redução ou passaram por reestruturação recentemente estão em busca de substituições certeiras. Espera-se que o profissional de saúde voltado para o negócio, como Marketing, Comercial e Regulatórios, seja estratégico e tático, esteja voltado para a inserção de novos produtos e canais de venda, acompanhe as demandas que estão surgindo no curto e médio prazo, além de fazer uma profunda análise da concorrência e do mercado LATAM.

Os cargos em alta no mercado da saúde, tanto assistenciais quanto para o negócio, são Enfermagem Assistencial (Hospitalar), Médico Assistencial (Hospitalar), Gerente de Assuntos Regulatórios e Gerente Comercial Medical Devices. Os serviços assistenciais mais demandados são laboratórios, hospitais e operadoras e redes de diagnóstico. Medical devices e cirurgias elétricas são os produtos em foco.

Diante da escassez de mão-de-obra especializada, o pacote de remuneração e benefícios se mantém competitivo e não é notada redução salarial mesmo nas substituições. “As organizações de saúde estão priorizando o melhor profissional, não o mais barato”, alerta Ricardo.

Remuneração – Média

Cargos que tiveram aumento – 42%

Cargos que tiveram estabilidade – 44%

Cargos que tiveram queda – 14%

Cargos que tiveram maiores aumentos ou quedas salariais:

Gerente Nacional de Vendas: 25%

Coordenador de PCMSO (Serviços em Saúde): 26%

Superintendente/ Diretor de Operações (Serviços em Saúde): – 20%

Gerente de Operações (Serviços em Saúde): – 27%

Aumento durante a pandemia: Imobiliário & Construção

O mercado da construção civil é um dos que mais sofre com a crise, passando recentemente por um longo período sem perspectiva e com projetos escassos. Em um momento de recuperação, a área apresenta destaque na reestruturação de posições gerenciais de desenvolvimento de negócios.

Há um crescimento nas posições com registro CLT, revelando o investimento a longo prazo dos profissionais, e um aumento exponencial dos salários oferecidos. Contudo, o mercado ainda sente falta de profissionais com excelente background técnico, inglês fluente e perfil comunicativo e comercial.

Remuneração – Média

Cargos que tiveram aumento – 100%

Cargos que tiveram estabilidade – –

Cargos que tiveram queda – –

Cargos que tiveram maiores aumentos salariais:

Analista de Novos Negócios (coordenação): 16%

Arquiteto de Produto (coordenação): 16%

Aumento durante a pandemia: Jurídico

Na área de Jurídico, as vagas que apresentam maior demanda são de fusões e aquisições e de advogados que atuam como generalistas no ambiente corporativo. Além disso, o mercado de capitais também apresenta alta, uma vez que há uma movimentação por parte dos investidores.

As empresas que apresentam maior expectativa de contratação dessas áreas são escritórios e multinacionais de capital aberto, além de gestoras de investimentos. Os perfis mais difíceis de serem encontrados, por conta do longo período de recessão da economia brasileira, são aqueles com expertise em equity.

Remuneração – Média

Cargos que tiveram aumento – –

Cargos que tiveram estabilidade – 80%

Cargos que tiveram queda – 20%

Cargos que tiveram maiores aumentos ou quedas salariais:

Advogado Trabalhista Pleno: – 13%

Aumento durante a pandemia: Marketing & Digital

De um lado, a área de Marketing, assim como outras de suporte ao negócio, sentiu os efeitos de retração da pandemia. Do outro, as operações de Digital foram aceleradas em 2020 por causa da intensificação do comportamento de consumo nos ambientes online e da abertura ou aperfeiçoamento dos e-commerces das empresas, varejo e até mesmo indústrias, que reinventaram seus canais de venda e relacionamento com clientes.

Além da alta do e-commerce, “já estamos sentindo um movimento de retomada para Trade Marketing diante de um novo volume no ponto de venda e para Branding com foco na experiência do cliente”, diz Mariana Bento, gerente de Varejo e Digital na Michael Page.

Por isso, o profissional de Marketing será cada vez mais cobrado por resultados de venda. “Hoje em dia, é complicado ter um profissional na equipe que não seja analítico. É um grande requisito para todas as cadeiras. Cada vez mais as empresas querem saber que metodologias esse profissional usa e como mede resultado”, conta.

É esperado que o profissional de marketing seja mais estratégico do que operacional, que tenha background de marketing digital, direcionado à experiência do cliente com a marca, foco em números e olhar de mensuração. Das habilidades esperadas, é alguém com olhar empático com o cliente, colaborativo com espírito de equipe, comunicativo, resiliente, flexível e com alta energia.

Além da proposta salarial competitiva com o mercado e os benefícios usuais, as empresas têm oferecido condições de bônus atrativas por entrega de resultado e participação nas ações. Além disso, o trabalho remoto se manterá. Algumas empresas não têm previsão para retorno presencial, especialmente as de tecnologia. Outras já consideram o modelo híbrido com escritório enxuto e três dias da semana no home office.

Cargos que tiveram maiores aumentos e quedas salariais:

Gerente de Grupo/ Categoria (Tecnologia e Telecom): 60%

Analista de Inteligência de Mercado Sênior (Bens de Consumo): 40%

Analista de Marketing (Indústria): – 14%

Analista de Marketing de Produto (Indústria): – 15%

Remuneração – Média

Cargos que tiveram aumento – 29%

Cargos que tiveram estabilidade – 66%

Cargos que tiveram queda – 5%

Aumento durante a pandemia: RH

A área de Recursos Humanos foi uma das mais transformadas com a pandemia do covid-19. Ao lado de Tecnologia e Finanças, o RH esteve na liderança da adaptação das novas condições de trabalho.

2020 foi um ano em que muitos desafios e projetos que já estavam na esteira do RH ganhassem mais força e urgência, como a atuação estratégica e a transformação digital.

“Existe um profissional de RH antes e outro depois da pandemia. Grande parte das empresas passou, e ainda está passando, por momentos desafiadores e o RH teve que liderar fóruns que nunca havia participado antes”, conta Sergio Margosian, gerente de recrutamento especializado em RH na Michael Page.

Digitalização, inovação e tecnologia são importantes mudanças para a área. O RH precisou mergulhar nisso e desenhar planos que viabilizassem rapidamente uma transformação, do zero no caso de algumas empresas, ou que agilizassem projetos em stand-by.

O RH não é exatamente o pioneiro em tecnologia dentro da empresa, costuma reagir à ela conforme as demandas de outras áreas. Porém, o mercado está esperando que o profissional de recursos humanos tenha esse olhar para a tecnologia em tudo: atração, admissão, integração, treinamento, preparo da liderança e mudança da cultura organizacional.

Seja porque a empresa reduziu ou aumentou, mudou sua cultura organizacional ou a lista de competências técnicas, o profissional de Recursos Humanos vai ter que estar afiado em todas as linhas de atuação. Estarão em alta posições de Recrutamento & Seleção, Treinamento & Desenvolvimento e de Business Partner.

Além disso, o Head de RH será muito importante para liderar todas essas frentes. Os setores com maior procura são tecnologia e healthcare por estarem com alta demanda em seus respectivos mercados.

Além do trabalho remoto ou modelo híbrido que se manterão, já havia uma tendência do mercado antes da pandemia de compor a remuneração baseada em retorno financeiro por resultado. Isso implica em tornar a parcela fixa do salário menor e aumentar a remuneração variável sobre a produtividade. Outros benefícios que entraram na lista em 2020 e poderão se manter são subsídio do pacote de internet residencial, a troca do vale refeição pelo vale alimentação, auxílio com terapia online e outros benefícios de bem-estar.

Remuneração – Média

Cargos que tiveram aumento – –

Cargos que tiveram estabilidade – 100%

Cargos que tiveram queda – –

Aumento durante a pandemia: Secretariado e Administrativo

Nem mesmo a pandemia diminuiu a importância das funções de secretariado e administrativo ao negócio. Muito pelo contrário, continua sendo de extrema importância para qualquer empresa. A área tem passado por mudanças e redefinições de papel, tornando-se mais assertiva.

Remuneração – Média

Cargos que tiveram aumento – 16%

Cargos que tiveram estabilidade – 16%

Cargos que tiveram queda – 68%

Cargos que tiveram maiores aumentos ou quedas salariais:

Office Manager sênior: 10%

Secretária Executiva sênior: 10%

Secretária Executiva Bilíngue sênior: -19%

Aumento durante a pandemia: Seguros

O mercado segurador continua buscando profissionais mais técnicos ou com perfis diferentes para ser mais competitivo e eficiente. No ano passado a busca por executivos continuou intensa, especialmente para empresas que necessitavam de especialistas em apólices e contratos, motivados pela pandemia.

Profissionais com boa formação, qualificações tecnológicas e com boas habilidades continuam sendo bastante requisitados. As corretoras apostan em expertise para novos negócios e expansão.

Remuneração – Média

Cargos que tiveram aumento – 100%

Cargos que tiveram estabilidade – –

Cargos que tiveram queda – –

Cargos que tiveram maiores aumentos salariais:

Gerente de Produtos: 2%

Aumento durante a pandemia: Supply Chain & Operações

Os profissionais de Supply Chain e Operações continuam com um papel de protagonismo dentro das empresas, sobretudo por serem responsáveis pela geração de savings – economia do dinheiro gasto pelas organizações em todas as categorias.

Com a pandemia, os profissionais que atuam com logística foram altamente demandados em muitas posições, especialmente para atender demandas de atividades essenciais, notadamente varejo alimentício e canais digitais.

Remuneração – Média

Cargos que tiveram aumento – 97%

Cargos que tiveram estabilidade – 2%

Cargos que tiveram queda – 1%

Cargos que tiveram maiores aumentos ou quedas salariais:

Analista de PCP Pleno: – 28%

Gerente de Operações (TI/ Telecom): 21%

Aumento durante a pandemia: TI

O ano de 2020 foi um divisor de águas para o mercado de TI. O início da pandemia do covid-19 foi crucial para áreas e profissionais de tecnologia, pois acelerou projetos que estavam engavetados há muito tempo ou que não eram prioridade nas empresas.

Nesse sentido, muitas delas sofreram para se adaptar rapidamente, já que não estavam preparadas para a alta demanda de TI. A aceleração dos projetos e investimentos em tecnologia obrigaram também profissionais de todas as áreas a desenvolverem mais suas habilidades digitais.

A adoção de novas tecnologias, softwares, plataformas, sistemas, automações e máquinas foi necessária para a continuidade das operações, prestação dos serviços, atendimento ao cliente e trabalho remoto dentro da casa dos colaboradores.

“Com essa transformação digital nas organizações, a tecnologia passou a estar no centro de desenvolvimento dos negócios”, destaca Luana Castro, gerente de recrutamento para Tecnologia na Michael Page.

Por ser um mercado que só evolui, o profissional de tecnologia deve ter consciência em relação à sua carreira. “É preciso ter cuidado em seguir a demanda de projetos conforme vão surgindo, sem pensar muito no desenho da carreira, se o que está fazendo hoje fará sentido para o amanhã. Há profissionais com muitos cursos e formações que não fazem sentido entre si”, diz.

Com o trabalho remoto, há cada vez mais posições para o profissional de tecnologia concorrer, inclusive oportunidades fora do país para ganhar em dólar e euro. A remuneração por hora também aumentou devido à terceirização de projetos.

Planos de stock option, em que o colaborador pode adquirir ações da empresa, têm sido cada vez mais praticados em startups. Com o mercado aquecido, alta demanda de trabalho e profissionais competitivos, as empresas estão revendo também a flexibilização de benefícios em dinheiro para que o colaborador possa investir em cursos e equipamentos que desejar.

Remuneração – Média

Cargos que tiveram aumento – 20%

Cargos que tiveram estabilidade – 80%

Cargos que tiveram queda – –

Cargos que tiveram maiores aumentos salariais:

Head de Data Science: 78%

Analista de Teste e Qualidade Júnior: 75%

Engenheiro de Dados Sênior: 35%

Aumento durante a pandemia: Varejo

O varejo foi um dos setores que mais sofreu com os efeitos da pandemia em 2020. Exceto os estabelecimentos qualificados como serviços essenciais pelo governo, os demais tiveram que passar longos períodos com as portas fechadas no ano passado.

O varejo esteve diante do desafio da adaptação rápida, migrando as vendas para soluções online e delivery. Repensar seus modelos de atendimento e canais é algo que já vinha acontecendo por conta da mudança do comportamento do consumidor e foi intensificado pela crise. Ainda que isso estivesse na mente dos empresários varejistas, muitos foram pegos de surpresa sem nenhuma estrutura encaminhada.

“O varejo teve que se reinventar, criando novas formas de vender seus produtos do dia para a noite”, relembra Mariana Bento, Gerente de Recrutamento para Varejo, Marketing e Digital na Michael Page.

Se os consumidores estão mais informados, conscientes e exigentes porque pesquisam, trocam experiências sobre os produtos e influenciam uns aos outros, os profissionais do varejo precisam estar ainda mais informados sobre o produto que comercializam, precisam dominar o setor em que atuam, conhecer a oferta dos concorrentes e saber aliar um serviço de excelência à venda de produtos.

Diante disso, os profissionais mais buscados pelos varejistas são aqueles que possuem as habilidades necessárias para oferecer esse tipo de experiência ao cliente, levando-o à fidelização.

Apesar de o varejo ter sofrido muito impacto na crise, também passou por movimentos aquecidos de IPO e aquisições de empresas, como Arezzo, Grupo Soma, Pagmenos, Track&Field, Tok&Stok e Petz.

“A empresa que compra outra está avaliando quem são os heads das áreas. Nessa hora, há uma exigência fortíssima de qualificação para ficarem os melhores profissionais. O momento de preparação para um IPO rende contratações interessantes nas áreas de marketing, comercial, operações e PDV”, conta Mariana.

Além da proposta salarial competitiva e os benefícios usuais, as empresas têm oferecido bonificações por resultado e participação nas ações. Como o varejo está muito ligado às lojas físicas, o modelo de trabalho remoto em alguns dias da semana varia de empresa para empresa, mas é aposta para 2021.

Remuneração – Média

Cargos que tiveram aumento – 16%

Cargos que tiveram estabilidade – 84%

Cargos que tiveram queda – –

Cargos que tiveram maiores aumentos salariais:

Profissional da Área Comercial Júnior: 18%

Profissional de Pricing Júnior: 13%

Aumento durante a pandemia: Vendas

O setor de Vendas espera acelerar a retomada, impactada pela pandemia no ano passado. As empresas devem reforçar suas equipes e buscarem profissionais qualificados para seus times. Empresas de diversos setores estão se movimentando nesse sentido para saírem na frente e buscarem melhores posições nos mercados em que atuam.

Remuneração – Média

Cargos que tiveram aumento – 74%

Cargos que tiveram estabilidade – 22%

Cargos que tiveram queda – 4%

Cargos que tiveram maiores aumentos e quedas salariais:

Gerente de Vendas (mídia, publicidade e internet): 67%

Diretor de Contas (mídia, publicidade e internet): 44%

Head de Canal: – 14%

Aumento durante a pandemia: Sobre o PageGroup

Fundado na Inglaterra em 1976, o PageGroup é um conglomerado formado por algumas das consultorias de recrutamento especializado mais respeitadas no Brasil e no mundo. Listado na bolsa de valores de Londres, está presente em 36 países.

Em sua gama de soluções para recursos humanos, oferece recrutamento de conselheiros e líderes executivos, alta e média gerência, e posições técnicas e de suporte à gestão. Além disso, conta com soluções para profissionais com deficiência, temporários e terceiros, bem como a execução de programas de talentos, RPO e recrutamento de alto volume.

Atualmente, os quase 8 mil colaboradores do grupo atuam em diferentes culturas e mercados, o que contribui para o conhecimento em 3 esferas: global, regional e local. No Brasil desde 2000, os consultores espalhados pelo país já realocaram mais de 52 mil profissionais.

Leia também – Operação Match de Carreira começa hoje às 20h, ative o sininho!

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui