Mercado de trabalho no terceiro setor está aquecido após o reconhecimento da profissão de Captação de Recursos

captação de recursos

Área de captação de recursos busca profissionais qualificados para as vagas disponíveis no setor.

O Ministério da Economia regulamentou, no final do mês passado, a profissão de Captação de Recursos e a incluiu no Código Brasileiro de Ocupações – CBO, tornando-a oficialmente reconhecida no País.

A partir de agora, as organizações da sociedade civil poderão registrar formalmente a carteira de trabalho de seus colaboradores como Captadores de Recursos, sem a necessidade de recorrer a outras profissões e denominações, como assistentes, auxiliares, entre outros.

Captação de Recursos: O que conta o responsável

De acordo com o responsável pelo pedido formal de regulamentação da profissão, Adm. João Paulo Vergueiro, conselheiro do CRA-SP e diretor-executivo da Associação Brasileira de Captadores de Recursos – ABCR, a captação de recursos é uma profissão valorizada em todo o mundo e, no Brasil, faltava o reconhecimento oficial.

“A captação de recursos é a primeira profissão típica do terceiro setor a ser reconhecida no País. Isso significa caminhar para a profissionalização das ONGs e a valorização do setor filantrópico em todo o Brasil.

A regulamentação serve para reforçar nossa visão de que o setor deve ser entendido como uma indústria da economia, que representa mais de 1.5% do PIB brasileiro, emprega 2,2 milhões de pessoas e conta com mais de 780 mil organizações em todo o País”, esclarece Vergueiro.

Captação de Recursos: Mercado está aquecido

O administrador afirma, ainda, que o mercado de trabalho nessa área está aquecido e há muitas vagas disponíveis, no entanto, há poucos profissionais qualificados. Por esta razão, Vergueiro explica qual o perfil que o captador de recursos precisa ter para preencher as vagas.

“O captador de recursos, antes de tudo, é um profissional que tem um perfil generalista. Ele precisa conhecer muito bem a instituição pela qual atua e todas as suas características e áreas, como projetos, comunicação, administrativo financeiro etc.

A partir daí, ele pode se especializar em uma competência específica da captação, como captação com indivíduos, com empresas, com eventos, por meio de editais, entre outras.

Para que qualquer pessoa se desenvolva na profissão é fundamental, também, saber se comunicar e escrever bem, ter boa capacidade de leitura e saber atuar em equipe, uma vez que esta é uma profissão bastante coletiva”, esclarece.

Captação de Recursos: Valorização do setor

Vergueiro, que já foi coordenador do Grupo de Excelência em Administração do Terceiro Setor – GEATS, do CRA-SP, acredita que o reconhecimento pode significar uma valorização do setor como um todo, além de uma melhor compreensão dos demais atores em relação ao que são ONGs, como atuam e como são administradas.

“Como resultado de médio prazo, pode inclusive trazer mais recursos financeiros para todo o setor, por meio de doações e da conexão de pessoas com causas. E, ainda, fazer com que as organizações tenham capacidade de gerar impacto, sendo financeiramente independentes”, conclui.

Captação de Recursos: Doações têm aumentado

Diante da pandemia do novo coronavírus, o número de doações realizadas tanto por pessoas físicas como jurídicas tem aumentado. Segundo o Monitor das Doações COVID-19, criado em março de 2020 pela ABCR para acompanhar o movimento de solidariedade que surgiu com a pandemia, já foram arrecadados mais de R$6,5 milhões.

Outra ação que teve um grande crescimento foi a campanha “Dia de Doar”, realizada em 1 de dezembro, que arrecadou mais de R$2 milhões, valor 80% maior do que em 2019, quando atingiu R$1,1 milhão.

Captação de Recursos: Sobre o Adm. João Paulo Vergueiro

João Paulo Vergueiro

Administrador e mestre em Administração Pública pela FGV-SP e bacharel em Direito pela USP, é conselheiro do CRA-SP e diretor-executivo da ABCR – Associação Brasileira de Captadores de Recursos.

É, também, professor de Administração e coordenador do programa Alumni Alvaristas da FECAP – Fundação Escola de Comércio Álvares Penteado, conselheiro da Fundação Amor Horizontal e da Kibô-no-Iê. Foi coordenador do Grupo de Excelência em Administração do Terceiro Setor – GEATS, do CRA-SP.

Captação de Recursos: Sobre o Grupo de Excelência em Administração do Terceiro Setor – GEATS

Fundado em 2015, o Grupo tem como missão capacitar profissionais, realizar eventos, pesquisas e publicações sobre a administração do terceiro setor, visando o desenvolvimento das organizações da sociedade civil do Estado de São Paulo.

Captação de Recursos: Sobre o CRA-SP

O Conselho Regional de Administração de São Paulo – CRA-SP é uma autarquia federal, criada em 1968 (três anos após a regulamentação da profissão de Administrador) que, atualmente, reúne mais de 80 mil registrados, entre empresas, profissionais e estudantes.

Embora suas principais funções sejam o registro e a fiscalização do exercício profissional nas áreas da Administração, o CRA-SP tornou-se referência na qualificação de profissionais, ao disponibilizar, de forma gratuita, palestras e eventos em um ambiente onde o conhecimento é tratado como uma poderosa ferramenta, capaz de promover profundas mudanças sociais.

O Conselho também se destaca na qualidade dos serviços agregados prestados, em condições especiais, aos seus registrados. Atualmente, o CRA-SP é presidido pelo Adm. Alberto Whitaker.

Leia também – Saiba quais são as profissões que mais estão sendo demandadas no mercado de trabalho.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui