O que fazer para conseguir um emprego?

342

O que fazer para conseguir um emprego é uma das principais dúvidas dos candidatos no mercado de trabalho. Não dá para saber quando um headhunter vai entrar em contato, mas dá para facilitar o caminho dele até você com algumas mudanças simples em seu perfil do LinkedIn. É por meio dessa ferramenta que os recrutadores buscam a maior parte dos candidatos às vagas. Portanto, é importante preparar seu currículo para aparecer mais nas buscas desses caçadores de talentos e receber o tão aguardado convite para uma entrevista. O PraCarreiras entrevistou a headhunter Natália Costa, da Wyser – uma consultoria especializada em recrutamento de executivos – e obteve dicas valiosas.

Afinal, o que fazer para conseguir um emprego?

Os headhunters não esperam que os currículos cheguem até eles. O foco desses profissionais é encontrar o candidato perfeito para ocupar uma determinada posição em uma empresa. Também conhecidos como “caça-talentos”, eles têm táticas muito certeiras para fazer suas buscas e, geralmente, utilizam o LinkedIn para isso. “Nós entendemos qual é o setor e o momento da empresa e buscamos candidatos que trabalhem em setores e empresas que passaram por momentos parecidos”, explica Natália.

Portanto, a melhor forma de ser notado pelos recrutadores quando a vaga ideal aparecer é saber como esses recrutadores caçam na rede social profissional.

Segundo a headhunter, um dos maiores erros que as pessoas cometem e que levam, muitas vezes, seus perfis a serem ignorados, é a falta de informações. “Muitas pessoas mantém perfis incompletos, não colocam foto, não incluem informações específicas sobre a função atual”, ela revela. A dica aqui é: se você é um analista de produto, por exemplo, não escreva apenas “analista de produto”, dê informações claras sobre o tipo de produto de que você cuida, pois pode ser exatamente o diferencial que o recrutador procura. “Imagine que eu tenho uma semana para fechar uma vaga. Se a pessoa coloca uma informação muito generalista sobre a carreira dela, o risco de eu perder tempo com essa pessoa é muito maior. Então eu acabo não a abordando”.

 

O que fazer para conseguir um emprego: que imagem você está passando?

 

Alguns detalhes aparentemente inocentes no seu perfil do LinkedIn podem dizer muito aos headhunters. Se você mantém o perfil desatualizado ou incompleto, isso pode passar a imagem de que você não está tão aberto a novas oportunidades. A ausência de preenchimento de alguns campos, como o da foto, por exemplo, pode ainda dar uma impressão de desinteresse ou de desleixo com o seu perfil profissional na rede. A velocidade com que você responde às mensagens também dá indícios da sua disposição em mudar de emprego. “Se na primeira abordagem, a pessoa já aceita e responde, a probabilidade de ela se movimentar é maior. E esse candidato acaba virando prioridade para mim, porque eu quero alguém que realmente se movimente para que eu consiga concluir a posição”, explica Natália.

E, embora os headhunters não tenham tempo de checar suas interações no LinkedIn, é interessante manter-se ativo por lá, interagir com seus contatos e compartilhar conteúdos relevantes sobre sua área pois, segundo a especialista, “essa pessoa vai ser sempre lembrada” pelos recrutadores de sua rede e, quando uma oportunidade aparecer, eles vão procurá-la.

 

O que fazer para conseguir um emprego? Confira algumas dicas práticas para ser encontrado pelos headhunters

 

Não deixe de incluir uma foto

 

Ela deve passar uma mensagem profissional, mas também precisa ter a ver com o seu momento profissional. Se você quer trabalhar em uma startup, não adianta colocar uma foto formal, de terno e gravata. “Recentemente, eu estava trabalhando uma vaga para uma fintech. Se aparecia um cara engravato, eu acabava desconsiderando, porque a probabilidade de ele se encaixar em uma start up é muito menor”, esclarece a headhunter.

 

Sabe aquele espaço abaixo da foto? Então…

 

Essa seção é o “título” do seu perfil e ela é a única informação que aparece – além do seu nome, é claro – quando  headhunter faz uma busca por palavra-chave no LinkedIn. Portanto, use esse espaço com sabedoria ou o recrutador nem se dará o trabalho de clicar no seu perfil. Nada de colocar frases como “eu transformo a vida das pessoas por meio da tecnologia”, pois isso não diz absolutamente nada sobre o que você realmente pode oferecer. De acordo com Natália, “esse campo deve conter palavras-chave, como por exemplo: vendas, B2B, etc. Se o candidato é de marketing, qual é a área do marketing especificamente? Conteúdo, digital… é nessas palavras que o headhunter bate o olho e sabe se o candidato é o ideal para a vaga que ele precisa preencher”.

 

Use a barra reta em vez da barra inclinada

 

Pode parecer preciosismo, mas a barra reta facilita a leitura dos buscadores do LinkedIn na hora que o recrutador digita o termo. Ela também elimina o risco de a palavra que você utilizou “grudar” na barra inclinada, mudando o termo no filtro de busca. “Na hora da busca, quando eu uso o filtro ‘marketing’, por exemplo, se a palavra estiver colada na barra ele não vai encontrar. E nós não vamos procurar por ‘marketing/’”.

 

Capriche na descrição das experiências

 

“Na descrição dos cargos deve estar muito claro e, de forma sucinta (sem textão), o que o candidato faz. De preferência em bullet points”, aconselha Natália. Ela sugere ainda que se siga o seguinte formato para não pecar nem pelo excesso, nem pela falta: “Responsável por” + “por meio de” + “abrangência”. Dessa forma, uma descrição ideal de cargo seria mais ou menos assim: “responsável pela área de vendas, identificando novas oportunidades de negócios no mercado editorial”. Para descrever a abrangência da função, Natália diz que o candidato deve se perguntar “até onde vai sua responsabilidade”. “Se você cuida de marketing, por exemplo, diga se é na empresa como um todo ou em apenas uma das divisões? Você atua no marketing global ou apenas em nível nacional? Colocando nesse formato, fica até mais fácil explicar o que você faz”, ela conclui.

 

Não escreva sobre suas soft skills

 

Quando chegar o momento da entrevista, o recrutador irá avaliar suas habilidades de comunicação ou se você tem facilidade de lidar com imprevistos. Mas em seu perfil do LinkedIn, foque nas competências técnicas, pois é de olho nelas que eles estão. “Nesse primeiro contato, nós buscamos saber o que realmente o candidato sabe fazer. E, durante uma conversa, nós vamos descobrir se a pessoas tem os skills comportamentais. No fim das contas, não importa o que a pessoa acha sobre ela mesma”.

 

Descreva o seu cargo de forma objetiva

 

É importante deixar claro o que você faz logo no título de cada experiência profissional. Muitas empresas dão nomes únicos para determinados cargos, como “desenvolvedor ninja”, por exemplo, e alguns podem parecer vagos demais. Portanto, se você for um analista de produto em um banco, inclua o produto no título do cargo quando for descrever a experiência no LinkedIn. “Analista de produto | crédito consignado | cartão de crédito” é melhor do que apenas “analista de produto”. É importante especificar a subfunção dentro do cargo ou então qual é o negócio, porque nós procuramos por pessoas que trabalham com produtos similares”, finaliza Natália Costa. Agora que você já sabe o que fazer para conseguir um emprego, capriche no seu currículo e LinkedIn e boa sorte!