Confira 5 dicas para preparar um Plano de Desenvolvimento Individual assertivo

Plano de Desenvolvimento Individual

Você sente dificuldades em elaborar o seu Plano de Desenvolvimento Individual (PDI)? Veja as recomendações do Thaylan Toth, CEO da Mindsight, especializada em levar inteligência para a área de Recursos Humanos.

Após o tempo proposto, você sente que conseguiu desenvolver as habilidades que desejava e precisava para dar o próximo passo em sua carreira?

Se essas perguntas fazem você questionar a forma como tem organizado o seu PDI, as dicas de Thaylan Toth, CEO da Mindsight, empresa de soluções tecnológicas para RH, podem te ajudar a montar um plano mais assertivo para seu desenvolvimento profissional.

“O PDI nada mais é do que uma ferramenta de Recursos Humanos direcionada ao indivíduo. Por meio desse plano, os funcionários são incentivados a passar por diversos passos focados nas habilidades que precisam adquirir ou aprimorar para crescerem em suas carreiras e para a vida profissional”, explica Thaylan.

“Nesse contexto, é importante que haja um diálogo transparente entre líder e funcionário e que o PDI seja realizado em ciclos semestrais ou anuais, respeitando o tempo de desenvolvimento do ser humano para aprender novas habilidades”.

Plano de Desenvolvimento Individual: Tenha visão do todo

É importante começar a preparar o seu PDI focando nos objetivos finais que você quer alcançar, mas também é fundamental não esquecer da missão da empresa em que você trabalha e seus objetivos de negócio para o ano – isso ajudará a se orientar melhor considerando o propósito da marca e por que ela está no mercado.

“Os objetivos que você definir para o semestre ou ano não precisam necessariamente ter uma relação direta com o seu cargo. Eles podem ser habilidades que você deseja desenvolver para melhorar como um profissional de maneira geral”, afirma Thaylan.

Plano de Desenvolvimento Individual: Encontre seus pontos fortes e pontos fracos

“Um PDI requer reflexão e autoconsciência. Ao decidir o que você quer alcançar e entender em quais áreas deve focar, o próximo passo é entender como tem usado suas habilidades para esse fim, se elas precisam ser melhoradas e o que precisa fazer para se desenvolver nesses aspectos”, explica o CEO.

Para essa dica, é possível aplicar uma estrutura que muitas empresas usam para orientar sua estratégia: a análise SWOT. Esse processo é a abreviação de Strenght (pontos fortes), Weaknesses (pontos fracos), Opportunities (oportunidades) e Threats (ameaças ou obstáculos). A partir dessa estrutura, compreender tanto as capacidades internas (pontos fortes e fracos) quanto o ambiente externo (ameaças e oportunidades) fica muito mais fácil.

Plano de Desenvolvimento Individual: Crie hábitos que sustentem seu crescimento

Para alcançar seu objetivo, é importante adotar práticas de apoio que o ajudarão a tornar determinadas habilidades mais necessárias e comuns no seu dia a dia. “À medida que essas tarefas repetitivas se transformam em hábitos concretos e corriqueiros, elas se tornarão mais fáceis de realizar e serão incorporadas mais facilmente em outros momentos profissionais”, indica o especialista.

Um exemplo é alguém que gostaria de desenvolver habilidade de argumentação. Um bom hábito de apoio pode ser treinar sozinho a articulação de argumentos favoráveis e contrários sobre assuntos diversos.

Plano de Desenvolvimento Individual: Defina restrições

Todas as pessoas têm momentos de distrações no ambiente de trabalho, que podem ser saudáveis e até ajudar na execução das tarefas posteriormente, mas também podem prejudicar a produtividade e o desenvolvimento profissional.

Um exemplo é o uso constante de redes sociais.Thaylan recomenda que “se esse é um fator que afeta o seu trabalho e te impede de concluir obrigações diárias, é interessante colocar restrições na forma como você as tem utilizado, como desligar notificações ou deixar o celular longe em momentos que precisará de foco e concentração”.

Plano de Desenvolvimento Individual: Esteja aberto a feedbacks

Em uma pesquisa realizada em 2020 pela Mindsight com profissionais de RH foi possível identificar que para 70% dos participantes, a principal dificuldade na hora de dar o feedback é a falta de preparo dos gestores para conversas difíceis.

Por isso, saiba que conversas de feedback não são um momento difícil apenas para você – o seu gestor também encontra desafios nesse momento. A recomendação para ambas as partes é estar preparado.

“Nem sempre vamos obter os resultados que desejamos e esperamos. Por isso, é importante entender que o feedback não é algo pessoal, e sim uma forma de te ajudar a melhorar e desenvolver certos pontos e habilidades que ainda precisam de mais atenção”, diz.

“Aproveite esse momento para expor as suas dúvidas, possíveis dificuldades e insatisfações, e entender o que você pode fazer de diferente”.

Plano de Desenvolvimento Individual: Sobre a Mindsight

A Mindsight leva ciência, inteligência e tecnologia para os processos de gestão de pessoas. Com algoritmos próprios de Inteligência Artificial e aplicação de machine learning, a Mindsight desenvolve ferramentas analíticas e preditivas que proporcionam às áreas de Recursos Humanos mais assertividade em suas tomadas de decisões.

Fundada em 2015, a empresa especializada já está presente em sete países, auxiliando mais de 350 companhias a levarem racionalidade para uma área dominada por vieses e achismos. Para mais informações, visite: https://www.mindsight.com.br/.

Leia também – Desenvolvimento profissional de jovens em tempos de isolamento social.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui