Conheça 10 empresas que usam tecnologia para humanizar processos no Brasil

humanizar processos

Um dos principais padrões no campo da tecnologia e do design é humanizar os sistemas tecnológicos, ou seja, criar relações mais humanas entre os dispositivos e as pessoas.

Em todo caso, por que razão as relações entre tecnologia e pessoas devem ser humanizadas? Além disso, o que realmente significa humanizar a tecnologia? Muitas vezes tida como “vilã”, por assumir algumas tarefas humanas com mais agilidade e precisão, a tecnologia é aliada dos negócios quando se pensa em otimização e atribuição estratégica dos esforços dos times.

Tecnologia humanizada não é inovação para o bem-estar da tecnologia. É uma inovação que funciona bem e com eficácia – atendendo a uma necessidade mais significativa das pessoas. No Brasil, essa abordagem já é realidade – e diversos setores já dominaram técnicas para que a tecnologia seja utilizada para melhorar a vida das pessoas. Por isso, listamos aqui 10 empresas que utilizam a tecnologia para humanizar processos em prol da sociedade.

Humanizar processos: Ahgora 

Na área de Recursos Humanos, a tecnologia se mostra fundamental para que o profissional tenha mais tempo para dedicar-se ao que realmente importa: as pessoas. Segundo a pesquisa HR Innovation, realizada pela  HR Tech catarinense Ahgora com líderes de mais de 300 companhias de todo o Brasil, 47% dos executivos concordam que o RH é um setor que deve priorizar as tecnologias para uma atuação mais assertiva.

O dado demonstra a importância de utilizar a tecnologia como aliada para tornar o RH mais estratégico. O uso do People Analytics, por exemplo, que é uma metodologia que une a assertividade da tecnologia à humanização do RH, já pode ser considerado um dos principais fatores que possibilitam uma atuação bem mais estratégica do setor, pois se baseia em dados gerados por softwares para evoluir a gestão de pessoas.

“Somos especialistas no desenvolvimento de tecnologias para entregar inteligência para a área de RH. Desenvolvemos aplicações que vão desde a gestão da jornada de colaboradores em tempo real até ferramentas que geram dados para a tomada de decisões estratégicas.

Tudo isso facilita a gestão empresarial e otimiza a rotina da área, resultando em eficiência operacional para as empresas e, o mais importante: a tecnologia possibilita uma gestão humanizada, pois o RH consegue dar a atenção necessária aos colaboradores ao desburocratizar processos”, conta Lázaro Malta, CEO da Ahgora.

Humanizar processos: Gabriel 

A segurança é um dos pilares fundamentais, direito de todos os cidadãos. No entanto, a iniciativa privada já conta com tecnologia de ponta para auxiliar o Estado na busca por um monitoramento ativo de movimentos suspeitos. Buscando ser a maior rede de segurança do país, a startup carioca Gabriel nasceu em 2020 com a proposta de reconstruir a indústria brasileira de segurança com inteligência artificial.

Com planos de expansão para outros estados da Federação, a Gabriel utiliza tecnologia para reconhecimento facial e detecção de movimentos suspeitos, mas com um olhar humano para garantir que não haja injustiças e racismo, por exemplo.

Um dos diferenciais da Gabriel é garantir que o viés da inteligência artificial usada no seu software não cometa nenhum tipo de injustiça social. Para isso, o cofundador Otávio Miranda explica que o foco da análise de situações suspeitas é na ação – e não no indivíduo. “O alerta é emitido quando alguém entra em um espaço que não deveria, independentemente de quem ela seja”, explica.

A segunda verificação é humana, que avalia o alerta. “Tomamos as providências necessárias sempre que nosso sistema gera a prova visual da ocorrência. Assim promovemos a justiça ao invés de dar margem para injustiças de toda forma”, relata o executivo.

Humanizar processos: IAssessments

Para Roey Shochat, CRO da Innovative Assessments, a tecnologia tem um papel fundamental na sociedade, pois auxilia na inclusão financeira. Isso porque é por meio dela que funciona o Worthy Credit, principal produto da IA. A partir de um questionário psicométrico, a startup israelense oferece uma nova possibilidade de avaliação de crédito para os mais de 1.7 bilhões de adultos desbancarizados no mundo.

“As pontuações de crédito são baseadas em dados de histórico financeiro, e ignoram um fator chave da capacidade creditícia: o caráter pessoal. A tecnologia usada no Worthy Credit, desenvolvida pelo CEO e PhD Dr. Saul Fine, promove dados psicométricos essenciais para que este processo seja mais humano e inclusivo”, completa Shochat.

Humanizar processos: MyHelpper

Nascida em plena pandemia, a MyHelpper se apegou em uma tendência cada vez maior nos Estados Unidos, onde 33% da população já interage com as empresas via chamadas de vídeo,  e em uma constatação científica de que o cérebro humano processa 60 Mil vezes mais rápido informações em vídeo que interações por texto para desenvolver uma ferramenta que permite às empresas atenderem os clientes por chamadas de vídeo. .

“A dinâmica de funcionamento é a mesma encontrada no site de algumas companhias. Só que no lugar do atendimento via canal de WhatsApp ou chat, é possível falar com o consumidor em uma chamada de vídeo. O cliente só precisa estar conectado com a internet, já que o sistema funciona com um Plugin que já está dentro do navegador padrão usado por ele para navegar”, explica  Gilberto Lopes, CEO da MyHelpper.

Além da tentativa de democratizar o acesso a um universo maior de brasileiros, Lopes também destaca que a tecnologia usada no VideoChat pode ser considerada “uma espécie de ganha-ganha para clientes e empresas. Quem vende consegue levar a loja até o cliente e demonstrar produtos mesmo distante fisicamente.

Outra possibilidade é ser ainda mais inclusivo ou especializado na hora de contratar e formar as equipes de venda ou relacionamento com o cliente. Já quem compra pode ser atendido com mais agilidade e consegue visualizar detalhes e funcionalidades do produto desejado em ação em tempo real”.

Humanizar processos: Atta

O mercado imobiliário vem apresentando um crescimento acelerado nos últimos anos e, mesmo com o aumento da Selic, a tendência é que esse cenário siga forte nos próximos meses. Para Renato Caporrino, CEO e fundador da ATTA, maior plataforma independente de crédito imobiliário e garantias locatícias do país, o desenvolvimento de novas tecnologias voltadas para o setor imobiliário influencia muito na acessibilização ao crédito e aquecimento constante do setor, uma vez que ela abrange a oferta de serviços e produtos para mais lugares.

“Nós sabemos que muitas pessoas sonham com um imóvel próprio e investir em pesquisa, mão de obra qualificada e tecnologia, é uma forma de diminuir o caminho para a realização desse desejo, principalmente quando falamos de cidades longe dos grandes centros, onde muitas vezes não há uma extensa “cartela de bancos” para estudar as melhores oportunidades”, explica Caporrino.

“Aqui na ATTA, nós temos como objetivo desburocratizar esse mercado e, por meio do empoderamento de imobiliárias e correspondentes bancários, impulsionamos recursos para que o acesso ao crédito seja simples e com processos transparentes”, finaliza.

Apenas na franquia de Sorocaba, município com 687 mil habitantes, a ATTA possibilita o atendimento em mais quatro cidades da região. Em 2020, as franquias ATTA permitiram que pessoas financiassem um imóvel com taxas mais acessíveis com todo o suporte de avaliação de documentos e dados dos solicitantes, facilitando a aprovação do crédito por parte dos bancos.

Ao todo, a proptech atende mais de 200 mil clientes em 19 estados brasileiros, mais o Distrito Federal, e a projeção é finalizar 2021 com cobertura de serviços em todo o Brasil.

Humanizar processos: Tembici

Tembici, líder em tecnologia para micromobilidade na América Latina, responsável pelo principal sistema de compartilhamento de bikes do país, preza pela segurança dos usuários no trânsito e acredita que tecnologia e humanização precisam andar juntos para a construção de cidades inteligentes.

Para Mauricio Villar, COO e co-fundador da startup, uma “smart city” é na verdade uma cidade humanizada, em que as pessoas interagem e utilizam dos mesmos serviços funcionais, com o objetivo de desenvolver uma melhor qualidade de vida com práticas sustentáveis. “O objetivo final é a humanização integrada, mas a tecnologia é muito importante durante todo o percurso”, comenta o executivo.

Humanizar processos: Portal de Compras Públicas

Portal de Compras Públicas, govtech fundada em Brasília, oferece uma plataforma de aquisição de bens e serviços através de licitações públicas eletrônicas. O Portal reúne em seu sistema um conjunto de ferramentas para resolver as principais falhas e problemas que os municípios enfrentam nas licitações de pregão eletrônico, que vão desde a elaboração de modelos de edital e banco de preços até a formação de cadastros (regionais e nacional) de fornecedores, passando pelo acesso ao conhecimento da legislação do setor. O Portal está realizando um trabalho que está causando impacto positivo em dois lados.

Primeiro, os pequenos municípios, que conseguem realizar todo o processo de maneira 100% online, sem pagar por isso, já que o sistema é 100% gratuito para as entidades compradoras. Segundo, o Portal auxilia os pequenos fornecedores/empreendedores, que conseguem oferecer seus produtos para as prefeituras de todo o Brasil de uma maneira rápida e acessível. Hoje são mais de 200 mil fornecedores cadastrados na base, que são conectados às necessidades dos municípios e mais de 1.900 prefeituras utilizando o sistema em todo o país.

Outro ponto que merece destaque é que a startup realiza um trabalho intensivo em preparar prefeituras de todo país a migrar para as plataformas digitais, passando a fazer suas aquisições via pregão eletrônico. Em 2020, o novo Decreto do Pregão Eletrônico (10.024/2019) tornou a modalidade obrigatória para todos os municípios que utilizam as verbas das transferências voluntárias da União.

O Portal intensificou as capacitações e treinamentos das equipes de compras das prefeituras sobre o pregão eletrônico, auxiliando-as na transição do pregão presencial – o que se revelou essencial nos períodos de isolamento e especialmente nas compras relacionadas ao combate da covid-19. “Trabalhamos em todas as regiões do país, a fim de capitalizar o crescimento de potenciais usuários para a nossa plataforma” afirma Leonardo Ladeira, CEO do Portal.

“Abrimos novos caminhos para a ampliação dos negócios e estamos ajudando a fomentar a inovação tecnológica dentro do governo”. O Portal realiza lives e cursos de capacitação semanalmente, para fornecedores e compradores, para ampliar o conhecimento de todos que já fazem parte do setor e também para os que desejam ingressar.

Humanizar processos: Pravaler

Pravaler é a principal plataforma de soluções financeiras para educação do país. Por meio da tecnologia, a fintech possibilita que pessoas de todo país tenham acesso à educação. Com um sistema de análise que avalia questões como empregabilidade do curso selecionado pelo aluno e a região onde ele vive, a empresa consegue oferecer crédito para mais pessoas, sem se prender ao score do cliente.

“Nós utilizamos a tecnologia a favor do nosso cliente. Com ela, tornamos real o sonho de muitos brasileiros de estudar, e assim, mudar de vida. Ainda que nosso modelo de negócio seja 100% digital, nosso propósito de ajudar a transformar a vida das pessoas através da educação nos deixa próximos dos alunos e participantes dessa transformação”, explica Daniel Cukier, CTO do Pravaler.

Humanizar processos: labsit

labsit é uma empresa especialista em soluções de tecnologia e softwares sob medida para empresas robustas e startups. Fundada em 2018 pelos amigos e sócios Michel Lopes, Rodrigo Silveira e Dimas Augusto, a Labsit busca ser muito mais do que apenas desenvolvedora. Eles são um time comprometido em criar oportunidades, transmitir as melhores ideias e desenvolver soluções únicas.

Voltados para o bem-estar da equipe e inconformados com a maneira com que o mercado de tecnologia lida com os colaboradores, a Labsit foca, acima de tudo, em provar que a inovação pode estar mais próxima do que as pessoas imaginam. Em meio aos desafios junto aos clientes, a empresa compartilha histórias e vitórias para contar.

Empresas como Funcional HealthTec, Conductor, Dotz e Banco BMG são alguns dos clientes da marca.

Humanizar processos: Zenklub

Zenklub é a maior plataforma de saúde emocional e desenvolvimento pessoal do Brasil. Criado em 2016 pelo médico Rui Brandão e pelo doutor em Computação e Telecomunicações, José Simões, atualmente atende brasileiros em 187 países e 1205 cidades.

A plataforma oferece sessões online com mais de 5 mil psicólogos, psicanalistas, coaches e terapeutas, além de conteúdos em texto, áudio, vídeo e diversas outras ferramentas em seu aplicativo. Hoje, o Zenklub impacta 1.5 milhão de pessoas por mês e atende mais de 300 empresas, entre elas Ambev, Qualicorp, Tecnisa, Loggi e Natura.

O Zenklub acredita que democratizar o acesso à saúde emocional é um caminho poderoso para relações corporativas sustentáveis, protagonizadas por indivíduos felizes consigo e com sua atuação no mundo.

Leia também – Recrutamento interno: valorização de colaboradores “da casa” ajuda na produtividade e na retenção de talentos.

Acompanha a gente no Instagram.

Conheça todas as Soluções do PraCarreiras.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui