Pesquisa da Thomas Case & Associados revela impressões de gestores após um ano de home office

impressões dos gestores
young handsome man in casual outfit sitting at table working on laptop, freelancer at home, view from back

Estafa da equipe foi sentida por 81% dos entrevistados e mais de 90% têm expectativas de voltar ao trabalho presencialmente, em versão híbrida.

Após mais de um ano de home office, como estão as empresas quando o assunto é a gestão de suas equipes? A Thomas Case & Associados entrevistou gestores a nível de gerência de grandes empresas, bem-posicionadas em setores de saúde, transporte e meio ambiente, que são considerados essenciais.

Impressões dos gestores: Os números da pesquisa

Para 81% dos gestores entrevistados pela Thomas Case & Associados, as equipes tiveram momentos de estafa dos funcionários no trabalho em casa. A pesquisa perguntou aos entrevistados como eles encararam o começo do home office em 2020.

45,5% dos gestores relataram que tiveram receio do que viria nos próximos meses. 27,3% tiveram tranquilidade de que seria breve e 27,3% não tiveram tempo de se organizar e entender o momento.

No começo da pandemia e de home office, 54,5% dos gestores encaram as mudanças como positivas e 36,4% negativas. 9,1% dos entrevistados ainda não possuem opinião formada.

Hoje, 45,5% já entendem o home office como exaustivo e 18,2% ainda preferem a opção de trabalho em casa. Mas, uma boa fatia da pesquisa ainda não possui opinião sobre o assunto: 36,4%.

“Muitas vezes, o motivo da indecisão se deve à falta de políticas mais claras para a modalidade de trabalho home office, que leva a insegurança tanto para as empresas como para os colaboradores.

Empresas e colaboradores ainda têm grandes dificuldades de seguirem as regras para esse tipo de trabalho, o que acarreta o risco de serem desrespeitados alguns deveres e obrigações de ambos”, ressalta Gustavo Vicenze, gerente de negócios corporativos da Thomas Case & Associados.

Impressões dos gestores: Avaliação do home office

E embora a avaliação positiva do home office, um ponto importante na pesquisa é relatado: 90,9% dos entrevistados têm expectativa de voltar ao trabalho presencial com suas equipes.

A explicação pode estar na pergunta a seguir na pesquisa: 54,4% dos entrevistados relatam que os funcionários sentem falta da troca de informações presencialmente e 36,4% da infraestrutura oferecida.

Para Vicenze, “é inegável que a tecnologia é uma grande aliada para aumentar a nossa produtividade, otimizar a agenda e nos poupar tempo, mas nada substitui o bom e velho olho no olho. Alguns assuntos são resolvidos de maneira mais prática e objetiva, sem necessariamente ter que marcar uma reunião para discutir ou debater um tema”.

Impressões dos gestores: A maioria

A maioria dos gestores, 63%, esperam voltar aos escritórios em quatro meses, mas o modelo híbrido é o ideal para 63,6% dos participantes contra 36,4% que preferem o trabalho totalmente presencial.

“Por mais que hoje existam sistemas de gestão de desempenho que possam avaliar os resultados dos colaboradores à distância, boa parte dos gestores se sente mais confortável acompanhar, engajar e auxiliar os subordinados in loco”, complementa Vicenze.

Para Norberto Chadad, presidente da Thomas Case & Associados, a pesquisa norteia novas medidas que os recursos humanos terão de lidar na volta ao trabalho presencial. “Atuar presencialmente é um desejo dos gestores e será inevitável.

Impressões dos gestores: Pensar no impacto

O que os RHs precisam começar a pensar é como será essa volta e seus impactos, principalmente quando notamos que mais de 36% dos gestores se demonstram mão saber se querem ou não voltar presencialmente.

Isso pode ter alguns motivos como insegurança e medo das novas formas de trabalho e do que encontrará nesse retorno. Os recursos humanos lidarão com o novo, de novo”, explica.

Impressões dos gestores: Sobre a Thomas Case & Associados

Referência em serviços de recolocação profissional e recrutamento & seleção no Brasil, a consultoria tem especialistas em diversas áreas, como Outplacement, Recrutamento & Seleção e Assessment, para colaborar com pautas.

A Thomas Case & Associados atua desde 1977 com soluções em gestão de pessoas, carreiras e mercado de trabalho. Liderada por Norberto Chadad, a empresa é pioneira em recolocação de executivos e lançou o primeiro cadastro de currículos da internet brasileira (Catho), se consolidando como a mais tradicional e maior consultoria nacional.

Atualmente, oferece um amplo portfólio para profissionais como programas de: Transição de Carreira, Gestão da Carreira Alternativa, Coaching de Carreira, Assessment e Plano de Pós-carreira. Já para as empresas oferece serviços de: Outplacement individual e em grupo, Executive Search/Hunting, Mapeamento de Mercado, Avaliação de Perfil, Coaching Organizacional, Pesquisa de Clima, Palestras e Treinamentos.

A Thomas Case & Associados conta com a matriz em São Paulo e filiais em Campinas, Rio de Janeiro, Belo Horizonte, Curitiba, Florianópolis e Porto Alegre.

Leia também – Estratégias organizacionais para liderar equipes de forma remota.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui