Trabalho em equipe: cultive esse espírito

Sete mãos, umas sobre as outras

Você já deve ter notado que o trabalho em equipe sempre aparece na lista das competências exigidas pelas empresas em processos seletivos. Mas você já parou para pensar no que exatamente é esse tal espírito de equipe? “É o nível de engajamento de um grupo de pessoas em direção a um objetivo comum. Isso cria uma sinergia, uma coesão e um ambiente de trabalho positivo e colaborativo”, explica Tatyana Azevedo, psicóloga e coach de carreira e transformação pessoal.

E por que, afinal, ele é tão importante para as organizações? “Cultivar o espírito de equipe certamente se traduz em melhores resultados com relação aos indicadores financeiros, mas também de qualidade de vida e de engajamento dos próprios funcionários”, ela complementa.

Mas a capacidade de colaboração com o grupo é uma soft skill que pode trazer benefícios não apenas para a empresa, mas também para o bem-estar dos próprios colaboradores. Ou seja, as longas horas de trabalho que passamos no ambiente de trabalho podem ser muito mais prazerosas quando nos sentimos parte de um time que se apoia e se completa em termos de competências. Tatyana ressalta ainda que quando se trabalha em sinergia com os colegas, o peso da cobrança é amenizado, já que é compartilhado por todos. Segundo ela, os níveis de estresse também podem ser reduzidos quando há uma cultura de trabalho em equipe: “atuo como psicóloga em organizações e noto um aumento dos casos de adoecimento, um pouco por falta desse espírito de equipe e de um ambiente de trabalho positivo”.

Por que é tão difícil trabalhar em equipe?

O trabalho em grupo é um desafio constante. Pessoas podem ser difíceis, além de pensar de forma diferente sobre a solução de um problema ou a maneira de executar uma tarefa. E nem sempre estamos dispostos a dar o braço a torcer quando a sugestão do outro é melhor que a nossa. Por isso, no dia a dia, é importante notarmos o quanto nós próprios estamos dificultando que o espírito de equipe se desenvolva. Além disso, é importante encararmos as diferenças entre nós e os colegas como oportunidades de aprendizado.

Na opinião de Tatyana, é importante que exista diversidade de pensamentos. “Uma equipe em que todo mundo tenha as mesmas habilidades e pense da mesma forma não consegue ver outros aspectos de um mesmo problema. É uma equipe limitada.”

O papel do líder

Portanto, uma equipe diversa pode ser uma vantagem, mas também pode ser um obstáculo se não for administrada de forma inteligente. “As pessoas têm perfis variados e necessidades de estimulação diferenciadas. E, muitas vezes, nós tratamos os indivíduos de um grupo da mesma forma e damos desafios similares para pessoas com habilidades e formas de funcionamentos diferentes”, exemplifica Tatyana.

Como, então, aproveitar essa diversidade de personalidades e de formas de pensar para favorecer o trabalho em equipe? Se cada profissional tem suas próprias necessidades, dificuldades e pontos fortes, como é possível administrar tudo isso para criar um time forte e engajado? Para a psicóloga, o líder é peça chave nessa engrenagem, pois será ele o responsável por conhecer os talentos e as forças dos membros de sua equipe e extrair o melhor de cada um para criar uma interação complementar entre eles. “É importante que ele tenha inteligência emocional para tratar as divergências como algo construtivo, de forma a alcançar o aprimoramento do projeto rumo ao sucesso.”

Espírito de equipe: é possível desenvolvê-lo

Embora essa seja uma habilidade bastante desafiadora para líderes e liderados, é possível começar a cultivá-la imediatamente e colher os benefícios de um espírito de equipe bem desenvolvido no dia a dia da organização. Segundo Tatyana, as características necessárias para se tornar um profissional engajado e atuar em sinergia com os colegas, podem ser aprendidas. Mas é preciso um esforço constante de todos: “É diferente de treinar o conhecimento técnico. Consolidar uma habilidade comportamental demanda mais tempo, mais esforço e mais comprometimento”, ela explica.

Mas, não se preocupe, com a ajuda da psicóloga, elaboramos dicas práticas que você pode começar a colocar em prática agora mesmo.

Vamos às dicas!

Comunique-se: “o espírito de equipe é baseado em conexão. É preciso que exista interação e uma comunicação aberta e honesta entre a equipe de trabalho”;

Seja pró-ativo: ofereça ajuda mesmo que a tarefa não esteja dentro das suas atribuições. Você vai reparar que os colegas irão retribuir quando você precisar. “É importante que as pessoas se ajudem mutuamente de forma genuína, independentemente de requerer do seu cargo, mas porque você quer efetivamente contribuir.”

Escute mais: esteja disposto a ouvir e aprender com a experiência do outro, mesmo que ele tenha um ponto de vista muito diferente do seu;

Peça ajuda: não tenha medo de admitir que precisa de ajuda. Essa atitude, ao contrário do que pode parecer, não faz você parecer incompetente ou incapaz, mas demonstra humildade e aproxima os colegas. Quando eles precisarem de ajuda, saberão que você os entende. “A colaboração passa por reconhecer a nossa vulnerabilidade.”

Para o líder

Deixe suas expectativas claras: não dá para cobrar um resultado da equipe se você não deixou muito claro, desde o início, o que você esperava exatamente que ela alcançasse;

Atribua responsabilidade: “é importante que ele demonstre para a equipe que o resultado do trabalho é uma produção coletiva e que todos são responsáveis”;

Valorize cada contribuição: não enaltecendo um para que o outro se sinta diminuído, nem como tentativa de estimular a competição entre os colaboradores, mas como forma de reconhecer o trabalho de um como uma conquista de todos.