Google search engine
InícioComportamentalTrabalho híbrido e burnout: como as empresas podem lidar com essas questões

Trabalho híbrido e burnout: como as empresas podem lidar com essas questões

Trabalho híbrido e burnout: como as empresas podem lidar com essas questões?

A ômicron fez com que o mercado repensasse a volta presencial. E o burnout volta à cena, reforçado pela classificação da OMS como doença, o que pode ser de responsabilidade da empresa

O ano de 2022 prometia ser mais equilibrado. Prometia. Mas a chegada da ômicron chacoalhou o mundo novamente e muitos empresários estão repensando o que já haviam planejado para esse início do ano. Uma dessas preocupações é se devem optar pelo modelo híbrido de trabalho, em que os funcionários ficam em casa alguns dias e outros vão presencialmente para o escritório.

Trabalho híbrido e burnout: é preciso cuidado com o modelo

Segundo o médico Ricardo Pacheco, diretor presidente da Oncare Saúde e presidente da Associação Brasileira de Empresas de Saúde e Segurança no Trabalho (ABRESST), o modelo híbrido é uma boa estratégia, mas é preciso ter cuidado redobrado ao adotá-lo. “O uso de máscara e o passaporte da vacina devem ser obrigatórios. Distanciamento entre as mesas e alternar os dias entre equipes para que o local não fique com excesso de colaboradores também”, diz ele. “Quem tiver qualquer sintoma de gripe deve ser afastado imediatamente e testado”, alerta. A Oncare Saúde apoia as empresas nessa empreitada com protocolos seguros e testagem dos colaboradores. “Desde o início do ano já testamos mais de 3 mil pessoas. É importante quando se pensa em ao trabalho presencial”, diz o Dr Ricardo.

Trabalho híbrido e burnout: atencão ao burnout

Além da volta ao trabalho presencial, o burnout voltou a chamar atenção das empresas. Desde 1º de janeiro deste ano a Síndrome de Burnout está na Classificação Internacional de Doenças da Organização Mundial da Saúde (OMS), a CID 11. Segundo a entidade, agora o Burnout passa a ser oficializado como “estresse crônico de trabalho que não foi administrado com sucesso”. No texto anterior, era considero ainda como um problema na saúde mental e um quadro psiquiátrico.

“Isso tem um impacto no mundo do trabalho porque as corporações precisarão estar mais atentas à saúde dos seus colaboradores, evitando que problemas evoluam e, principalmente, criando estratégias para impedir que a síndrome atinja os profissionais. Do contrário, além de ver talentos afastados e doentes, perderá produtividade e qualidade”, diz o médico e gestor em saúde.

O especialista lembra que uma gestão voltada para a saúde dos colaboradores precisa prevenir e identificar os sinais da doença. “É comum que o profissional com o burnout tenha um histórico de boa performance que se reverte diante de uma alteração no ambiente, como uma mudança na condução ou de demandas. A gestão tem que estar atenta e aberta a buscar ajuda para identificar e tratar os trabalhadores doentes”, afirma o médico.

Trabalho híbrido e burnout: empresas brasileiras devem ligar o sinal de alerta

O sinal de alerta para o burnout precisa ser acionado na maioria das empresas. É o que diz o Índice de Bem-estar Corporativo do Zenklub no ano passado. O documento mostra que o índice geral de bem-estar no mercado brasileiro recebeu a nota de 49,25, numa escala de 0 a 100, as empresas brasileiras ficaram abaixo o índice ideal de 78. O levantamento teve mais de 1.600 respostas de funcionários de 335 empresas. Entre os fatores que afetaram negativamente o bem-estar geral, o burnout aparece como o maior alerta, com os profissionais relatando sintomas de esgotamento.

Outros dois fatores aparecem como avisos para um trabalho mais preventivo. Em segundo lugar, o alto volume de demanda e controle sobre o trabalho tira a autonomia e pode levar a um quadro de Burnout. E em terceiro, o fator de adição ao trabalho mostra o sentimento de sobrecarga em alta entre os profissionais.

Trabalho híbrido e burnout: a Síndrome de Burnout depois da classificação da OMS

De acordo com o médico Ricardo Pacheco, a OMS deixa claro que o burnout é uma doença relacionada ao trabalho, e não ao trabalhador, e pode trazer sérios problemas para a empresa. “O estresse mal administrado se torna um problema crônico relacionado ao local de trabalho e problemas de gestão da empresa. Sem contar que o reconhecimento pela OMS terá um efeito em processos trabalhistas relacionados ao tema, já que o trabalhador poderá recorrer à Justiça por causa de esgotamento e a empresa pode ser responsabilizada e até pagar indenização. Na verdade, a implicação de responsabilidade já acontece, mas pode ser difícil de conseguir”.

Trabalho híbrido e burnout: investir na saúde mental dos trabalhadores é essencial

Em pesquisa da Kenoby com profissionais de recursos humanos, 93% deles disseram que as empresas ainda ignoram as questões de saúde mental. Entre os entrevistados, 53,4% não sabiam dizer se a empresa pretende investir em saúde mental. Outros 35% responderam que o investimento virá em menos de um ano.

O médico Ricardo Pacheco acredita que a mudança na classificação do burnout deve elevar a discussão sobre saúde mental. “As empresas precisam criar ambientes mais sustentáveis de estresse e demanda, um fator essencial é nutrir a segurança psicológica. Colocada como fator número um para ter equipes de alta performance, a segurança psicológica também é a tranquilidade de que as pessoas podem compartilhar ideias, errar e aprender sem sofrer punições por isso. Contar com uma empresa especializada na saúde do trabalhador é um caminho eficiente para prevenir, identificar e tratar o burnout a tempo de não trazer maiores consequências para o trabalhador e para a empresa”, conclui ele.

Sobre a Oncare Saúde

A Oncare Saúde é uma plataforma de solução integrada de saúde, que oferece assessoria e consultoria, para empresas e para população em geral. Inclui assistência médica, assistência integral social e assistência à saúde dos beneficiários e seus dependentes, com ações de promoção, proteção, recuperação e reabilitação. Dessa forma, contribui para o aprimoramento do sistema social e de saúde do Brasil.

PraCarreiras e a mentoria de carreira

O PraCarreiras também faz uma mentoria de carreira, com preparação de currículo, LinkedIn, dinâmica de grupo e ensaio de entrevista de emprego.

Oferecemos soluções completas para que o profissional se posicione de forma adequada nos processos seletivos.

Temos 90% de recolocação dos nossos mentorados no mercado de trabalho.

Para conhecer mais sobre os tipos de mentoria de carreira, clique aqui!

Acompanha a gente no Instagram.

Conheça todas as Soluções do PraCarreiras. Ou chame nosso time agora mesmo.

RELATED ARTICLES

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

- Advertisment -
Google search engine

Most Popular

Recent Comments

luiz orivan boccalletti junior on Análise de currículo grátis – Sorteio 2020
Amanda Galhardo on Fui demitido, e agora? Confira
Ana Carolina Okubo on Como montar um currículum vencedor?
Carlos Eduardo on Fui demitido, e agora? Confira
Fale com o PraCarreiras