Google search engine
InícioMercado de Trabalho6 dicas para lidar com a crise no mercado de trabalho

6 dicas para lidar com a crise no mercado de trabalho

Pergunte para qualquer pessoa e ela dirá que estamos passando por momentos complicados quando o assunto é a economia. Mas a pergunta que fica na nossa mente é: é possível passar de forma tranquila por uma fase de tanta incerteza? Por isso, conversamos com Erika Linhares, executiva especializada em soft skills, pedagoga e palestrante, para saber como lidar com a crise no mercado de trabalho e continuar crescendo e prosperando profissionalmente, independentemente do que acontece no mundo. 

1.Como identificar uma crise no mercado de trabalho? 

Segundo Erika, são três fatores que nos ajudam a perceber uma crise. O primeiro é olhar para a empresa em que você mesmo trabalha. Como ela está desempenhando as suas atividades? Como está a busca pelo produto ou serviço que ela oferece? Essa observação já vai ajudar você a identificar em que momento o seu mercado de atuação está. 

O segundo ponto é igualmente importante: observar o mercado do país e do mundo como um todo para entender o que está acontecendo no quadro geral. Por exemplo, o coronavírus causou um impacto. Que impacto é esse? Como ele está sendo refletido no mercado de trabalho? 

O terceiro e último é olhar para os seus concorrentes atuais e aqueles que estão começando agora no meio. Como eles estão? Estão crescendo ou estagnaram? Caso estejam crescendo (e você não), o que eles têm feito de diferente que está gerando esse crescimento?  

“Diante dessas três informações, é possível identificar se está em crise ou não e por quais motivos”, explica Erika. “Pode acontecer de o país estar em crise por algum motivo específico que não tem a ver com seu mercado, ou o mercado em que atua estar em crise. Pode acontecer também de a crise estar relacionada a um problema macroeconômico que vai passar, e aí é preciso se reinventar, ou pode ser um problema só da empresa, que precisa passar por uma reestruturação, ou ainda um problema de modelo de mercado que mudou, sendo que concorrentes estão fazendo de forma diferente e atraindo mais clientes.”

2.Como uma crise pode afetar a carreira profissional de alguém? 

O ponto mais óbvio – e que já temos visto acontecer por conta da pandemia de coronavírus – é o desemprego. O profissional pode vir a perder o trabalho por causa de uma crise ou a empresa pode decidir por segurar uma promoção que estava por acontecer ou congelar vagas que estavam abertas e com o processo seletivo rolando. 

O momento, porém, não é de desespero, mas de reinvenção. Caso você perceba uma crise no mercado, o ideal é que busque maneiras diferentes de fazer as tarefas cotidianas e coloque a sua cabeça focada em buscar soluções para a empresa ou para os seus clientes. “É preciso mudar, prever, evoluir e melhorar”, explica Erika.  

No caso de um profissional que perdeu o emprego, o ponto principal é investir no autodesenvolvimento. Isso significa voltar a estudar, tanto para desenvolver melhor as soft skills, tão importantes em momentos como o que vivemos agora, como para aumentar o seu valor de mercado. Busque aprender sobre o momento atual, ficar a par de novidades da sua área de atuação e como você pode se diferenciar. A boa notícia é que, com a internet, você pode adquirir muito conhecimento de forma gratuita. Sem precisar gastar mais do que o necessário. 

3.Como lidar com uma crise que afeta o mercado profissional? 

Se o mercado afetado é a sua área de atuação, diretamente, então o primeiro passo, de acordo com Erika é fazer relacionamentos com pessoas que podem ajudar você a sair da crise, além de reforçar a relação com quem você já tem contato. Ou seja, é acionar e trabalhar o seu networking

“Esteja perto dos seus colegas, apoie, ajude, dê ideias”, diz Erika. “E refaça o planejamento estratégico, mude e faça diferente. Reveja processos e procedimentos, além da maneira de se comunicar com clientes, por exemplo. Em terceiro lugar, economize, pois será preciso ter fôlego. Sempre há dinheiro investido de forma errada ou desnecessária. Corte gastos desnecessários.”

4.Dá para minimizar os efeitos de uma crise na carreira? Como? 

Para a executiva, o que uma crise no mercado de trabalho pede é que os profissionais invistam o máximo possível em si mesmos. Caso você tenha perdido o emprego, o ideal não é ficar desmotivado (por mais difícil que pareça ser), mas buscar entender o que aconteceu que levou você até esse ponto, aprender com os erros e se aprimorar.   

“É no pior momento que temos que investir em nós mesmos para melhorarmos, porque vamos enfrentar concorrência. Invista no seu desenvolvimento para entender onde estão as lacunas que precisa desenvolver melhor e estar preparado”, continua ela. 

5.Como se recolocar no mercado em um momento de crise? 

Para começar, atualize o seu currículo no LinkedIn e também no arquivo que será enviado por outros meios, como e-mail. Busque contar sobre as suas experiências e habilidades tanto comportamentais quanto técnicas e lembre de ser verdadeiro, porque mentiras podem ser facilmente descobertas em tempos de internet. Lembre-se também de se preparar bem para entrevistas e, principalmente, de não esquecer de fazer girar o seu networking. 

“Quando a empregabilidade está baixa, as empresas abrem uma vaga e há muitos profissionais concorrendo, a indicação é muito importante na escolha do profissional. Use seu networking, fale com quem você já trabalhou. Quando achar uma vaga que tem a ver com você, entre no site da empresa que deseja e se inscreva. Na entrevista, seja objetivo e direto, conte suas experiências, fale de suas habilidades e mostre interesse em fazer as coisas acontecerem e que está lutando por aquilo”, aconselha Erika.

6.Como utilizar o networking? 

Sempre importante lembrar que o networking é vital em qualquer situação, mas principalmente em momentos como esse. As indicações ainda são muito bem vistas nas empresas, porque dizem muito sobre quem é o profissional. “Tome cuidado com os relacionamentos com as pessoas. Seja honesto, íntegro, ajude, porque um dia vai precisar ser ajudado. Uma hora a gente precisa. Se você foi um ótimo profissional, você vai contar com pessoas que vão querer, sim, ajudar você a se recolocar. Não tenha vergonha de procurá-las e pedir essa ajuda, se preciso”, finaliza ela.

Artigos Relacionados

Matérias mais lidas

Fale com o PraCarreiras