Empreendedorismo de sucesso: faça com propósito

49
empreendedorismo de sucesso

Talento para escrever discursos emotivos motivou negócio que prosperou e virou e-commerce. Conheça a história de empreendedorismo de sucesso de um gestor ambiental que largou tudo para empreender com amor.

O gestor ambiental Danilo de Luzia Gurdos acumulava conquistas e atributos dignos de orgulho para qualquer jovem de vinte e poucos anos. Formou-se na USP, após passar em cinco faculdades públicas. Conseguiu um estágio em uma empresa de grande porte. E não demorou para ser efetivado e promovido. Por fim, ingressou em uma pós-graduação e arriscou uma segunda universidade.

Seguindo os passos do pai, que atua na área ambiental, Danilo debruçou-se em livros técnicos. Ele queria melhorar sua atuação com mapeamentos de riscos e diretrizes socioambientais.

Mas no meio de tantos êxitos, havia um certo incômodo em sua vida profissional. E, a vontade de empreender, e mudar totalmente de rumo, ficou cada vez mais latente.

PC: Por que você decidiu cursar gestão ambiental?

Tinha muitas dúvidas sobre o que eu queria cursar. Mas, sabia que teria que ser uma universidade pública, porque não tinha condições de pagar uma particular.

Como eu era um bom aluno de matemática e química, procurei cursos relacionados. Escolhi gestão ambiental porque tinha um amigo que estava estudando. Eu gostei da grade das matérias, além do meu pai ser dessa área.

Adorei a faculdade, gostei de todas as matérias e do meu estágio na Porto Seguro. Mas, quando comecei a atuar mais com negócios lá na Porto, percebi uma vontade de empreender, de tentar algo novo.

PC: E como surgiu a ideia de criar a Presente em Palavras, um case de empreendedorismo de sucesso?

Eu sempre gostei de escrever e sempre me destaquei pela minha comunicação.

Eu costumava a ajudar pessoas a escreverem discursos de pedido de desculpa, de aniversário, de relacionamento, entre outros.

Sinto que as pessoas têm dificuldade de expressar o que sentem e se frustram porque não conseguem transmitir seus sentimentos.

Como sou muito sensível e tenho bastante empatia – chego a ficar doente com a história triste de alguém – senti um potencial em abrir uma empresa que fizesse discursos para outras pessoas.

PC: Como foi desistir de um emprego sólido para arriscar-se no empreendedorismo com risco de não ter sucesso?

No final de 2014 eu pedi demissão e foi bastante doloroso.

Mas, no meu último dia de trabalho, eles me propuseram uma nova oportunidade em uma área de inovação. E, eu acabei adiando um pouco o meu sonho de empreender.

Foi após mais seis meses, que eu criei coragem e pedi demissão de vez. Escrevi um poema de despedida que deixou grande parte da empresa emocionada. É uma decisão difícil.

PC: Quais diretrizes iniciais você tomou ao abrir o seu negócio? Como ter um empreendedorismo de sucesso?

Não fiz nenhum plano de negócios. No início, eu só pensava em ganhar dinheiro com o que eu gostava.

Não fiquei desenhando logo, slogan, nada disso. Comecei com o nome Presentes em Palavras. Mas, depois mudei por conta da fonética que ficava parecida com Presente sem Palavras.

Como eu queria trabalhar com Pessoa Jurídica e Física, quis deixar “Presente” no singular também para dar a ideia de estar presente.

O começo dá muita insegurança. Ficava pensando em não ter mais salário, não ter mais estabilidade e nem segurança. Minha noiva me incentivou na época e nós abrimos uma sociedade.

PC: Qual foi o primeiro investimento que você fez para o seu negócio?

Investi R$ 3 mil em uma festa de lançamento.

Foi um coquetel para familiares e amigos e eu aproveitei a oportunidade para fazer um discurso bastante emotivo. Na época, poucas pessoas apostaram na minha empreitada.

Muita gente achava que eu estava louco e não acreditavam no que eu estava fazendo.

Essa é uma dificuldade comum quando se começa a empreender, muita gente não vai te apoiar, até meus pais estavam receosos.

Mas o segredo é focar no que se deve ser feito, manter a crença no seu negócio e depois provar para todos que você estava certo.

PC: Quando de fato o Presente em Palavras começou a expandir no Brasil?

Fui aprovado em um processo de aceleração de Startups, o Startup Farm, em um processo que aprovou 15 ideias dentre mil candidatos.

Eu nem imaginava que conseguiria ser aprovado.

No meio de tantas empresas de tecnologia, softwares e aplicativos que prometiam revolucionar o mundo, estava o Presente em Palavras, uma empresa de discursos e textos emotivos.

Na época eu já tinha um ano de negócio e percebi que tinha muito para aprender ainda.

Recebi deles dois meses de mentoria, que me mostraram a importância de aplicar metodologias a qualquer tipo de negócio.

Aprendi com eles a usar a base de dados com metodologia, desenhei o passo a passo de todos os processos, organizei as formas de perguntar e as formas de ouvir e hoje possuo um banco com 350 perguntas a serem feitas em uma entrevista com um cliente.

Antes disso, eu fazia tudo de forma natural e espontânea, mas a metodologia me permitiu capacitar pessoas e expandir o negócio.

Contratei três freelancers e contei com a ajuda de mais um sócio.

PC: Como é a convivência com um sócio?

No começo nós quebramos um pouco a cabeça. Ele é engenheiro e veio para me ajudar com o planejamento financeiro.

Seu perfil é mais racional, enquanto o meu é mais sensível. Apesar de divergências, acho importante sempre termos sócios com perfil oposto ao nosso, pois assim conseguimos complementar um ao outro no negócio.

Meu sócio me ajudou a ser mais firme nas propostas com os clientes, o que foi muito positivo, porque se dependesse de mim eu receberia tudo com abraços.

PC: Após três anos de lançamento da Presente em Palavras, como você define a maturidade do negócio hoje?

Temos sete escritores em todo o Brasil, que escrevem nossos discursos depois que os sócios entrevistam as pessoas ou empresas interessadas.

Também contamos com quatro contadores de histórias que vão até o local discursar em casos em que os clientes se sentem envergonhados para falar em público.

Nossos contadores de história são atores e atrizes, uma delas é a Mariana Hein, que já atuou na novela Malhação.

Além de termos chegado em todos os estados do país, também atendemos alguns brasileiros que moram fora e nos contratam para fazer uma homenagem a algum parente que está no Brasil.

Já contamos com quase mil discursos realizados e temos um índice de aprovação de 86% dos nossos clientes, que gostam do texto de cara e não pedem nenhuma alteração.

Com dois anos de empresa, conseguimos um investidor anjo, um ex-diretor da Cartoon Network, que viu um post nosso no Facebook e se apaixonou pela ideia. Com a ajuda dele, lançamos o primeiro e-commerce de homenagens no Brasil.

Basta entrar no site, escolher a ocasião e fazer o pagamento para receber as perguntas da entrevista, que podem ser enviadas pelo próprio site.

PC: Muita gente acredita que empreender é super prazeroso. Na prática é assim mesmo?

Empreender é algo que sempre te deixa com muitas dúvidas.

Você passa por muitas dificuldades o tempo todo, as vendas oscilam e o retorno financeiro demora para chegar.

Definitivamente, é preciso ter um psicológico forte, senão você desiste. Eu costumo ter crises de ansiedade, gastrite e já chorei compulsivamente por conta de obstáculos que enfrentei no negócio.

Mas estou aprendendo a lidar com tudo isso e levar uma boa vida pessoal.

PC: Qual o maior desafio do seu negócio?

Apesar de não termos concorrentes diretos, enfrentamos dificuldades no mercado. É sempre difícil ter um empreendedorismo de sucesso.

A principal delas é que muita gente ainda não entende do que se trata o Presente em Palavras, então esse é o nosso maior desafio.

PC: Que dica você dá para quem está querendo empreender e sonha com umempreendedorismo de sucesso?

É preciso ter certeza do que você está fazendo e de que seu negócio é algo novo. Eu sempre soube que não estava “criando moda” e tinha certeza de que meu negócio era diferente.

Cerque-se de pessoas que acreditam em você, tenha muita metodologia e, se possível, um sócio com o perfil complementar ao seu.

Lembre-se que a empresa é formada por pessoas que lidam com pessoas, então empatia e um bom relacionamento são fundamentais em qualquer negócio.

Também é importante ter algo que faça algum diferencial na vida das pessoas. Lembro de uma cliente que nos procurou para escrever um discurso de reconciliação com sua filha.

As duas tinham brigado quando a filha contou que estava se relacionando com outra mulher e a desavença fez com que a mãe a expulsasse de casa.

Arrependida e sem saber como expressar seu pedido de desculpa, ela nos procurou e nós escrevemos um discurso emocionante.

Depois disso, as duas resolveram fazer terapia juntas e nós já fomos convocados para o fazer o discurso de casamento da filha para a sua noiva. Situações como essa me motivam muito.

PC: O que é um empreendedorismo de sucesso para você?

Sucesso é o lugar que cruza o propósito com a necessidade do mundo.

**Gostaria de ver alguma carreira específica aqui? Escreva para a gente.