Nutrição o que é? Profissionalismo para além das redes sociais

nutrição o que é

Nutrição o que é? Embora o nutricionista ainda seja visto por muitos como um criador de dietas, procurado apenas por pessoas que desejam emagrecer, o papel dele na sociedade vai muito além de dizer o que se deve ou não comer. Acompanhe nossa entrevista para entender um pouco mais sobre a carreira de nutrição.

Os profissionais dessa área são, certamente, o elo entre a alimentação e a saúde. “A nutrição é fator determinante no tratamento e cura dos pacientes”, explica a profissional Marina Gorga, afirmando ainda que, mesmo diante de quadros muito graves, em que o uso de medicamentos é indispensável, a associação com uma alimentação adequada a cada caso é fundamental. “O paciente tem menos dores, menos efeitos colaterais e responde melhor ao tratamento”, complementa.

E foi aprendendo a lidar com seus próprios problemas de saúde que ela, eventualmente, descobriu a vocação. Já na infância, tinha dificuldades para lidar com o peso e, mais tarde, descobriria alterações em sua tireoide e em seus hormônios. Assim surgiu a motivação para buscar alternativas aos tratamentos medicamentosos tradicionais. “Entrei na faculdade querendo me curar e, hoje, contribuo para curar muita gente. Isso é muito lindo!”

Nutrição o que é?

Na era digital, as mídias sociais são, sem dúvida, uma ferramenta útil de divulgação do trabalho de muitos profissionais, além de um canal de comunicação rápido e eficiente com o público. Entre os nutricionistas, não é diferente. Marina, por exemplo, compartilha informações e dicas sobre alimentação com seus mais de 70 mil seguidores no Instagram diariamente.

Mas será que ter engajamento nas redes é necessariamente um sinal de sucesso profissional? “De jeito nenhum. Mas é bacana divulgar algo por ali, sem dúvida (…). Entretanto, não adianta, uma agenda cheia e com pacientes fiéis vem do boca a boca”, ela conclui.

PC: O que motivou sua decisão de escolher a carreira de nutrição?

Acredito que minha maior motivação foi resolver problemas pessoais, pois era uma criança gordinha que se incomodava com o peso. Ainda muito nova descobri alterações de tireoide e, posteriormente, alterações hormonais… tudo isso sempre fez com que eu estudasse muito sobre alternativas à medicamentos. Entrei na faculdade querendo me curar e, hoje, contribuo para curar muita gente. Isso é muito lindo!

PC: A carreira de nutrição, sem dúvida, ganhou um pico de notoriedade nos últimos anos. A que você atribui tanto sucesso?

Falo muito sobre isso em consultório… a Nutrição certamente ganhou espaço com as blogueiras fitness, por volta de 2012-2013. Nessa época, era uma overdose de corpo sarado, barriga trincada, homens musculosos, foi a onda do fitness.

Nessa realidade, as pessoas precisam abrir mão de muita coisa e se dedicar a outras também. Mas, um pouco depois, acredito que por influência dos Estados Unidos, começou uma onda de wellness que é a que vivemos atualmente. O pessoal do fitness reparou que o único objetivo do que eles faziam era definir o abdômen e, muitas vezes, às custas de uma saúde comprometida – com uso de anabolizantes e inibidores de apetite.

O que o movimento wellness trouxe foi uma qualidade de vida melhor, uma saúde melhor, disposição, energia… não que você não precise abrir mão de algumas coisas ou se dedicar a outras, mas o que você ganha em troca é tão maior, que ninguém desiste. Diferentemente do fitness… mas, sem dúvida, as redes sociais fizeram com que isso tudo acontecesse tão rápido!

PC: Mas essa notoriedade que a profissão vem ganhando é algo necessariamente bom, ou você acredita que pode atrair profissionais sem talento ou vocação para o mercado?

Ah, tem de tudo… em qualquer profissão. O meu maior medo é um profissional ruim, mas com bom marketing, fazer besteira por aí, o que acontece para caramba! Além do que muitas pessoas estão largando a profissão atual para cursar Nutrição, como se fosse muito fácil ganhar dinheiro nesta área. Rede social só mostra o louro de tudo, ninguém vê o lado ruim de nada. Estamos vivendo uma época de deprimidos e insatisfeitos.

carreira de nutrição

As redes sociais são o novo currículo: você recebe uma indicação de profissional e a primeira coisa que faz é entrar no Instagram pra conferir

PC: Nesses tempos de excesso de vaidade e culto ao corpo, existe espaço para carreiras em nutrição que apoiam dietas mais naturais, alimentações mais equilibradas?

Com certeza absoluta! Cada vez mais, como disse acima. O fitness tem perdido força, de verdade. Hoje as pessoas buscam qualidade de vida, energia, disposição, foco, longevidade, bem-estar! E o emagrecimento é natural. Acontece também! Atendo há sete anos e o público mudou completamente, e muito rápido!

PC: O quanto você acredita que uma nutrição adequada pode ajudar na qualidade de vida das pessoas? Por exemplo, dietas que equilibrem nutrientes e ajudem as pessoas a diminuírem o estresse, depressão, etc. Você enxerga essa vertente de apoio na sua profissão?

Sim! Acredito 100%. Não tenho nem como expressar em palavras a diferença que estar bem nutrido faz na vida de uma pessoa!

PC: Qual é o papel da nutrição na prevenção de doenças? Uma dieta adequada pode ser um diferencial, por exemplo, no processo de cura de doenças?

Pela nossa legislação, não podemos dizer que curamos um indivíduo… mas o que vemos na prática clínica é que a nutrição não apenas auxilia como é fator determinante, de peso absurdo, no tratamento e cura dos pacientes.

Obviamente que não podemos querer tratar um câncer com própolis… mas, mesmo nos casos em que a medicina precise intervir, em casos mais sérios e agressivos como, por exemplo, quimioterapia, a associação com a nutrição é fundamental. O paciente tem menos dores, menos efeitos colaterais, responde melhor ao tratamento…

PC: Qual a importância das mídias sociais, como o Instagram, para divulgar e validar o trabalho do profissional? Quem tem bom engajamento nas redes é necessariamente um profissional bem sucedido?

De forma alguma! Nunca me preocupei com isso, meus seguidores são e sempre foram orgânicos. Nunca usei como ferramenta de captação, pois acredito que é uma consequência mesmo. Mas é bacana divulgar algo por ali, sem dúvida. Virou o novo currículo (risos): você recebe uma indicação de profissional e a primeira coisa que faz é entrar no Instagram. Mas não adianta, uma agenda cheia e com pacientes fiéis vem do boca a boca. Indicações de pessoa para pessoa. Fama de Instagram acaba rápido, você precisa ser capaz de sustentar os pacientes que conquistar de forma… vamos dizer, digital.

PC: Que dicas você daria para profissionais em início de carreira de nutrição que não sabem como dar os primeiros passos na busca por clientes? Você tem alguma recomendação para quem não tem dinheiro, por exemplo, para alugar um consultório nesse início?

Atenda na casa do paciente. Atenda onde o paciente estiver. Converse com academias ou faça parcerias com clínicas de estética… mas comece. Não tenha medo e não gaste com o aluguel de algo grande ou muito sofisticado. Apenas algo arrumado, sua postura, seu conhecimento e a segurança que você tem irão te impulsionar! Lembre-se de se mostrar da forma como quer ser visto.

PC: Quais são os “segredos” para ser bem-sucedido na carreira em nutrição?

É um tema muito extenso. Mas um bom profissional precisa estar preparado. Estudar. Ler. Estudar muito. Se atualizar. Não parar. Não acomodar-se. Manter-se ético e nunca criticar colegas. Fazer um bom trabalho. Não querer ganhar em cima de ninguém… é natural. Parece clichê, mas se você faz com amor, tudo flui. O que você entrega, volta. Pode ter certeza!

PC: O que é sucesso para você?

Sucesso, para mim, é estar, na maior parte do tempo, FELIZ. Seja como for: ganhando muito ou pouco. Seja trabalhando de madrugada ou estudando no tempo livre… Sucesso, para mim, é PODER escolher o que fazer, quando fazer, como fazer e, obviamente, ser FELIZ com tudo isso.

pub-2012670429573875