Experiência profissional no currículo, como priorizar?

Veja agora como priorizar experiências profissionais em seu currículo.

Você já deve ter passado por uma situação como essa: na hora de ajustar o currículo para enviá-lo para uma vaga, você tem dificuldade de escrever a parte de experiência profissional no currículo. Afinal, como priorizar os trabalhos que você já teve? O que deve vir primeiro? O que fica por último? E o que deve sair dali para não entrar mais?

Pois bem, conversamos com Lisa Barruffini, especialista em RH e coach de carreira, para saber exatamente como elencar a sua experiência profissional no currículo, para aumentar as suas chances de contratação.

1.Pense em enriquecimento profissional quando escrever sobre sua experiência profissional no currículo

Lisa explica que o seu currículo deve representar tudo aquilo que enriqueceu a sua vida profissional de alguma forma. Ou seja, a área das suas experiências é o momento de “vender o seu peixe”. “Procure colocar números e dados, e descreva as suas conquistas”, explica a também psicóloga.

Aqui, vale lembrar que o tempo médio que um recrutador passa lendo um CV é de seis segundos. Por isso é tão importante colocar nesse documento apenas experiências que realmente sejam enriquecedoras e demonstrem o seu crescimento profissional. Isso garante que você chame a atenção das empresas.

2.Alinhe o currículo à vaga quando escrever sua experiência profissional no currículo

A pergunta de um milhão de reais. Devo adaptar o meu currículo e as minhas experiências profissionais à vaga à qual estou me candidatando? A resposta de Lisa é simples: sim.

Isso é importante para demonstrar que você já passou por trabalhos que estejam de acordo com o que a empresa procura. Isso aumenta as suas chances de conseguir uma entrevista.

3.Foque nas experiências profissionais mais recentes no currículo

Outra dúvida comum é se você deve manter experiências de primeiro emprego no currículo. “Como a ordem cronológica deve ser inversa, do cargo atual ou mais recente ao mais antigo, coloque apenas as mais recentes. Se estiver na mesma função há vários anos, invista em mais espaço para mostrar como cresceu por lá”, explica a coach.

4.Limite as experiências profissionais no currículo

Citamos ali em cima que o tempo médio de leitura de um currículo é seis segundos. Isso significa que o recrutador provavelmente não vai ler tudo o que você fez desde a época da faculdade.

Lisa diz que o ideal é colocar no CV as suas três últimas experiências, mas que é importante, também, manter por ali algum outro trabalho que marcou a sua carreira e onde, de alguma forma, você excedeu expectativas. “O currículo deve ser ágil”, finaliza ela.

Em resumo: o seu currículo é, literalmente, uma vitrine da sua vida profissional. Seja em versão online (como um perfil no LinkedIn) ou um documento tradicional, ele precisa trazer os seus momentos profissionais mais marcantes e que demonstram a evolução dentro da sua área de atuação.

Colocar uma experiência de trabalho voluntário, por exemplo, é uma boa ideia porque demonstra um desenvolvimento de caráter que é interessante para qualquer empresa, e pensar bem na hora de descrever as funções que você já executou também é um diferencial.

Continue acompanhando nosso conteúdo sobre LinkedIn. Temos uma editoria exclusiva do assunto para ajudar você a montar o seu perfil e fazer um bom networking na rede. Todo o nosso conteúdo foi feito a partir de nossa imersão no próprio LinkedIn.

Se você precisa de uma ajuda mais específica, conheça nosso curso Os Segredos do LinkedIn, em que ensinamos o passo a passo para você criar e preencher o seu perfil no LinkedIn. Além disso, ensinamos como se relacionar com sua rede, postar conteúdo e outros segredos da ferramenta para você conseguir um emprego.